BUSCA PELA CATEGORIA "Artigo"


Artigo: Meu Deus! 36 meses é muito tempo

Artigo: Meu Deus! 36 meses é muito tempo Foto - Divulgação

Essa foi a reação que tive ao saber que o Ministério da Saúde trabalha com um planejamento de ações para os próximos três anos visando vacinar, prevenir, tratar e cuidar das pessoas atingidas pelo vírus causador da Covid-19. A informação foi revelada pelo Dr. Lauricio Cruz, diretor do Departamento de Imunização e Doenças Transmissíveis (DEIDT) do Ministério,  em reunião com os deputados estaduais e distritais representando a União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (UNALE) na última terça-feira (13).
Nas audiências realizadas pela comissão de fiscalização da vacina, instituída pela UNALE, nossos companheiros deputados buscam informações diretamente da fonte, com a finalidade de subsidiar a atuação dos parlamentares em todos os estados. Assim já ocorreu em reuniões com a Anvisa, Embaixadas da China e da Rússia, assim como a União Química, fabricante da vacina Sputnick-V no Brasil. O que está na mente das pessoas é que a partir da vacinação tudo pode voltar ao normal, com atividades econômicas em pleno funcionamento, atividades sociais, religiosas e aglomerações liberadas e tudo mais. Entretanto, a realidade nos indica que será necessário continuar com todas as precauções de prevenção como uso de máscaras, higienização das mãos, distanciamento social, entre outras, além de conviver com contaminações, complicações sanitárias e sequelas decorrentes. Para isso, as secretarias de saúde dos estados e dos municípios deverão planejar e executar uma estratégia de médio prazo com duração de pelo menos três anos. Deverão estar atentas às sequelas, novas variações do vírus, vacinações recorrentes e periódicas e todo o impacto no SUS, ao mesmo tempo em que atendem todas as demais demandas que já sobrecarregam o sistema e todo o país.
Para não dizer que trazemos somente preocupações, na mesma ocasião o representante do Ministério detalhou todas as aquisições de vacinas já feitas para o Programa Nacional de Imunização (PNI), indicando que até o final deste ano toda a população brasileira pode ter sido vacinada. Isso é alvissareiro, porque permite tranquilizar as pessoas que aguardam a chegada da sua vez no calendário de vacinação. De nossa parte, continuaremos a promover ações que visem fortalecer o papel do legislativo estadual no apoio e na fiscalização das ações de prevenção e combate à pandemia, que tantas vidas já ceifou. (*) A deputada Ivana Bastos (PSD-BA) é presidente da União Nacional dos Legislativos e Legisladores Estaduais (UNALE).


Artigo: 'Um bilhete para Léo!'

Artigo: 'Um bilhete para Léo!' Foto - Wilker Porto / Agora Sudoeste

Prezado afilhado, extensivo ao Compadre, Luciana e amadas tias. Hoje, vejo-me, mais uma vez, diante dessa obrigação pelo coração, a deixar algumas palavras, que bem sei, não servirão como bálsamo, para amenizar essa cruel dor que vocês padecem, em razão do precoce desaparecimento de Léo, um afilhado pela estima e pela amizade familiar. Nem posso imaginar, por mais que saiba me expressar, sobre essa fatídica ocorrência, por parte desse vírus que não nos dá alívio, pois, também, padecemos temerosos de que seja ou um dos meus entes queridos uma das suas vítimas. Dizer de você, Léo, do seu jeito. da sua afetividade, da sua inteligência, da sua religiosidade, seria desaguar palavras , que já não servem, além do nosso reconhecimento, pelo que você semeou nessa tão rápida passagem entre nós. Se perder amigos, pais, parentes, numa circunstância com esta, já é ruim demais, perder um filho, supera a qualquer dor, que me deixa postado e desperto pela noite longa e povoada de maus pensamentos, a pensar nos meus, que são a razão da minha vida. Os pais sabem, e como sabem, o que estou dizendo, quando, sem qualquer egoísmo, veem  pedir a clemência do Grande Arquiteto do Universo, que por toda infinita bondade, nos livre desse mal, amém. Um jovem intelectual, preocupado em deslindar os enigmas do tempo e do mundo, um questionador voraz sobre o desconhecido, um crítico irriquieto sobre a nossa política, mas sem jamais apegar-se aos extremismos ou deixar-se influenciar, marcou a sua convivência social, de uma forma doce e agradável, engraçado, por vezes, quando. por exemplo, um dia, fiz um comentário sobre o "ser politico" do seu irmão, um orgulho para ele, como para mim não menos, e ele reagiu pesaroso, dizendo-me: "- Puxa, como pode um padrinho, pensar assim do seu afilhado"? Isso foi, aqui, à porta do Escritório, ao descer da Prefeitura, quando lá trabalhava. E  olhe, que não foi uma ofensa, mas um comentário, apenas, em relação a uma das suas convicções políticas, por meu extremo querer bem! Ele se foi, e fiquei pesando naquilo, para depois comentar com Fredinho, como acho que o fiz. Ele era bom de prosa. Instigante. Insatisfeito. Curioso. Pesquisador e estudioso. Como dizia a sua mamãe: - "Um encanto de menino!" E ai de quem a contrariasse! Virava fera! Dele só guardo essas lembranças. E essas serão as que guardarei para sempre. Descanse em paz, Léo!. O brumadense Leandro Leite Rêgo, 33 anos, morreu vítima da covid-19. 


Artigo: Sabrina Camargo fala sobre os efeitos da pandemia em Brumado

Artigo: Sabrina Camargo fala sobre os efeitos da pandemia em Brumado Foto - Wilker Porto / Agora Sudoeste

Quando a esfera política silencia, resta a nós cidadãos duas alternativas: compactuar com este silêncio ou falar. Não é de hoje que a condução da pandemia em nosso município me deixa indignada. Desde o início, Brumado dispensou barreiras sanitárias, não escalonou a reabertura do comércio e vem aí, desde maio, numa pressão pela reabertura das escolas municipais sem se orientar sequer por um protocolo construído por especialistas. Condutas que estão na contramão da grande maioria dos municípios. Assistimos estarrecidos há 1 mês uma avalanche de casos de coronavírus. Um aumento vertiginoso de hospitalizados e de óbitos. Eu não concordo que a solução seja fechar o comércio. Não se resolve um problema criando outro. É preciso fiscalizar. Multar o comércio que não segue as medidas de segurança, donos, vendedores e clientes sem máscaras, lojas lotadas. Dêem uma volta e vejam a situação das padarias, supermercados, quitandas, loterias.... cheias, sem controle nenhum de entrada. Pessoas com diagnóstico positivo para Covid circulam nas ruas sem nenhum constrangimento e preocupação. Fazem compras. Trabalham. Como se não vissem nenhum problema neste comportamento. Vocês acham isto normal? Eu me recuso a achar. Ahh, mas não temos quem fiscalize, dizem.

Artigo: Sabrina Camargo fala sobre os efeitos da pandemia em Brumado Foto - Wilker Porto / Agora Sudoeste

O que me surpreende é que, às vésperas da eleição, contratam-se pessoas indiscriminadamente, o chamado cabide eleitoral. E agora, mesmo com todos os recursos recebidos, não há verba suficiente para contratação de pessoal e aplicação de medidas? É imperativo uma ação municipal. Urgente! Assistem de camarote as dezenas de novos casos que surgem todos os dias, os óbitos que são praticamente diários, as hospitalizações intermináveis. Se não há político que possa denunciar esta situação, façamos nossa parte enquanto cidadãos. Se o coronavírus vai se apossando da nossa cidade, levando nossos parentes e amigos e destruindo famílias, é porque outro vírus tão maléfico quanto, o do desinteresse, do descaso, da insensatez e da falta de compaixão vai permitindo esta realidade que hoje vivenciamos. Em nome do que consentem que o vírus se alastre? Porque não tomam providências? Que o caos está instalado e o abismo logo a nossa frente, todos nós já sabemos. Mas queremos saber também o que o município pode fazer para não deixar que seus habitantes despenquem precipício abaixo. É difícil calar e se resignar diante desta situação que é da ordem do inimaginável. E você, também tem algo a dizer ou prefere ser conivente e se omitir?. Texto da Psicóloga/Psicanalista Sabrina Camargo, Mestre e Doutora em Teoria Psicanalítica.


Como reduzir o estresse com Vitamina B5

Como reduzir o estresse com Vitamina B5

Hoje, mais do que nunca, somos forçados a lidar com o estresse no nosso dia a dia. Pode-se dizer que a ansiedade e o estresse estão entre os principais problemas na vida moderna. E com a recente Pandemia de Covid 19, os níveis de estresse subiram ainda mais, estamos sendo afetados em diferentes áreas: tanto na saúde como na economia. Como consequência, estresse, ansiedade e até a depressão acabam se tornando mais comuns. Ao passarmos por situações estressantes, nosso corpo libera hormônios, como a adrenalina por exemplo, que causam uma sensação de angústia e aflição. Dor de estômago, respiração ofegante, pânico e inquietação são alguns sintomas que aparecem no corpo ao ficarmos estressados. A boa notícia é que certos nutrientes, como a vitamina B5, podem nos ajudar a amenizar esse problema. Por isso, hoje estamos aqui para lhe falar sobre os benefícios dessa vitamina, acompanhe também no canal do youtube da Bio high, detalhes sobre a Vitamina B5. Confira:

O que é a Vitamina B5 e para que serve?

O Ácido Pantotênico, mais conhecido como vitamina B5, é um nutriente essencial do corpo humano.

Isso significa que nosso organismo precisa dela para viver, apesar de não produzi-lo em sua totalidade.

A Vitamina B5 faz parte de diversos processos fundamentais do nosso corpo, sendo indispensável para:

  • Produzir neurotransmissores cerebrais;
  • Extrair gorduras;
  • Combater inflamações; 
  • Fabricar esteroides, como o colesterol.

Portanto, a sua presença é indispensável para manter a saúde em dia.

Ela pode ser encontrada em alimentos como abacate, gema de ovo, leite e derivados e fígado.

A Vitamina B5 também pode ser consumida como suplementação, servindo principalmente para:

  • Diminuir os níveis de estresse;  
  • Tratar e combater problemas mentais graves;
  • Melhorar a aparência da pele;
  • Proteger a saúde do coração.

Esses benefícios se devem aos processos metabólicos dos quais ela faz parte. 

Por sua atuação na produção de hormônios que atuam no cérebro, ela se destaca sendo capaz de reduzir o estresse, como veremos melhor a seguir.

Porque a vitamina B5 ajuda a combater o estresse?

Perturbações mentais, estresse e ansiedade crônica, estão entre os principais distúrbios de saúde que a Vitamina B5 pode aliviar.

Isso ocorre porque esse nutriente tem ação direta sobre os hormônios do nosso organismo, atuando na produção de neurotransmissores cerebrais, como a Dopamina e a Serotonina. 

Essas substâncias são conhecidas por promoverem a sensação de felicidade e de bem-estar.

A sua ação sobre os hormônios também ajuda a inibir o cortisol, conhecido como hormônio de estresse.

Graças a essa combinação a Bio high desenvolveu um suplemento natural, acesse o site da loja e veja mais detalhes de como a Vitamina B5 ajuda a amenizar até mesmo sintomas de depressão.

Além de trazer outras propriedades benéficas para o organismo.

Conheça todos os benefícios da Vitamina B5

Fundamental para produzir diversas substâncias necessárias ao metabolismo humano, o ácido patogênico alivia o estresse.

Mas, também tem outros benefícios, que incluem: 

  1. Deixa a pele mais jovem e firme: a Vitamina B5 é capaz de retardar o surgimento de rugas e marcas de expressão;
  2. Aumenta a imunidade: ajuda a sintetizar substâncias envolvidas nas defesas do organismo, como as hemácias da corrente sanguínea;
  3. Melhora a saúde cardíaca: a Vitamina B5 ajuda a regular os níveis de colesterol e manter a pressão arterial equilibrada.

Portanto, além de combater o estresse e a ansiedade, suplementar a Vitamina B5 pode melhorar a sua qualidade de vida como um todo.

Onde encontrar e como tomar

Além de estar presente em diversos alimentos, a Vitamina B5 pode ser encontrada como suplemento alimentar em cápsulas, em farmácias, drogarias e pela internet.

Também pode estar presente como componente de suplementos multivitamínicos. 

A dose recomendada é de uma cápsula ao dia. Em caso de qualquer dúvida procure orientação médica antes de iniciar o consumo.

Há alguma contraindicação?

Não há contraindicação para o uso da Vitamina B5. A única recomendação é para as grávidas e lactantes, que devem procurar seus médicos para orientações antes de usar.

A Vitamina B5 não costuma apresentar efeitos colaterais quando usada corretamente.

Conclusão

A Vitamina B5 é uma excelente forma de manter o estresse e a ansiedade longe. 

Os resultados podem ser ainda melhores se você mantiver uma dieta equilibrada e praticar exercícios regularmente.

Gostou das dicas de hoje? Deixe o seu comentário e até a próxima!

CONTINUE LENDO

Artigo: Morte e Morte de Dr. Juracy

Artigo: Morte e Morte de Dr. Juracy Foto - Wilker Porto / Agora Sudoeste

Pelas mãos do saudoso deputado federal e engenheiro Vasco Neto, cheguei a Brumado-Bahia, no final de 1973, para executar o projeto geotécnico da Estrada BR-030, trecho Brumado – Maraú. Brumado era uma cidade carente de tudo: água, luz elétrica, comunicação, rodovia, saúde, educação... Um simples telefonema interestadual só era possível através de Vitória da Conquista. Vale lembrar que uma viagem normal de carro Brumado – Vitória da Conquista durava cerca de quatro horas por um caminho de terra. Foi na gestão do prefeito e médico Dr. Juracy Pires Gomes que Brumado saiu do quase nada para se tornar o segundo mais próspero Centro Administrativo /Produtivo do Sudoeste da Bahia. Só perdendo para Vitória da Conquista.  Dr. Juraci fez acontecer em Brumado: água (Barragem sobre o Rio do Antônio), luz elétrica na sede e nos distritos (Rede de Alta Tensão e Subestação), comunicação (Telefonia DDD e DDI), educação e cultura (Colégio Estadual de Brumado e Biblioteca Pública), saúde (Hospital Municipal, Prof. Magalhães Neto), rodovias (BA-262, Brumado – Vitoria da Conquista  e Av.  Centenário), agências bancárias (Caixa Econômica Federal e BANEB), pavimentação (Usina de Asfalto), aeródromo e hangar Sócrates Mariani Bitencourt (Bairro Aeroporto), sinal de rádio e TV via torre repetidora (Alto Pirajá), casas populares (URBIS 1), abatedouro (Periferia do Bairro do Tanque), mercado municipal (Av. Centenário), prefeitura municipal (Bairro Nobre Brumado), cesta do povo (Av. Centenário), casa dos estudantes (Salvador),  DIRES, DIREC, CIRETRAN, EBDA, GERFAB...

  O Dr. Juracy foi também o médico de todos os brumadenses. Chamava-me carinhosamente e Juruna e foi meu padrinho de casamento, daí minha estima e consideração para com o cidadão Juracy Pires Gomes, independentemente de política. 

     Na manhã do dia 01 de setembro de 2020, numa padaria, em Brumado,  recebo a triste notícia do falecimento do Dr. Juracy. Lamentei profundamente.  O informante, uma pessoa da área médica, digna de credibilidade, adiantou-me que foi o COVID 19, e que não haveria velório e o sepultamento seria naquele mesmo dia, às 12 h. Olhei para o relógio, 11 h e 50 min . Não tive dúvida, rumei para o cemitério Sta. Inês e, mantendo certa distância, pude observar  a chegada  do cortejo fúnebre. Confesso que meus olhos marejaram.  Rezei um Pai nosso e pedi a Deus um bom lugar para aquela boa alma. Estranhei a ausência dos familiares do doutor, mas, em se tratando de tempos de pandemia, melhor prevenir do que remediar, por isso não compareceram  ou já estavam dentro do cemitério, pensei.  

       Na volta para casa, comprei uma vela de sete dias com o propósito de acendê-la para iluminar o terço que já deveriam estar rezando. Família católica é assim.

       Cheguei a casa, a mulher, com cara de poucos amigos, perguntando-me:

      — Tá sabendo?...

      — Sim! — Adiantei — trouxe até uma vela.

      — Pra que vela?

     — Ué! Pra alma do Dr. Juracy!

     — Tu também tá espalhar essa notícia infame?

     — Claro que não! Mas estive no enterro. Só não entrei no cemitério.

     — Que enterro?

     — Do Dr. Juracy!

     — Deixa de mentira, Ribamar, terminei de telefonar para a residência do Dr. Juracy, ele está lá, apresentando melhoras.

     — De imediato, liguei para meu cunhado na viva voz e perguntei:

     — Ficou sabendo do Dr. Juracy?

     — Sim!...  Morreu!

     — Taí. Teu Irmão está confirmando o falecimento, e eu fui ao enterro, alguma dúvida?

     — Vocês dois  estão precisando diminuir a cachaça!

    Embasado na credibilidade de meu informante, meu cunhado e demais pessoas que ouvi comentando o lamentável ocorrido, além da minha presença no sepultamento, acendi a vela, apesar do sussurro malicioso:

     — Que enterro foi esse, Ribamar, e para quem é essa vela?

     — Já disse! Tudo pela alma de uma pessoa estimada de nome Juracy!

     — Me engana que eu gosto!

   Diante de tamanha insinuação, não me restou alternativa senão deslocar-me até a Av. Otávio Mangabeira, onde pude constatar que o Dr. Juraci estava em casa, vivinho da silva. Por muito pouco não entrei na casa do meu amigo dando pêsames. Já pensou vexame?

      Minha situação em casa só amenizou porque uma rede social também noticiou o falecimento do doutor naquele dia. Contudo, as pendências do enterro a que fui e da  vela que acendi ficaram.

      Dois dias após, ainda encarando olhares de desconfiança, outra notícia de morte do Dr. Juracy. Aí a minha reação já foi de raiva do autor de tamanha brincadeira de mau gosto. Mas, fiquei na minha, lógico: gato escaldado de água fria tem medo.

      Infelizmente o agouro se confirmou. O ex-prefeito de Brumado, Dr. Juracy Pires Gomes, havia falecido mesmo. Dessa feita, foi a família quem deu a lamentável notícia.

      Depois da morte e morte do Dr. Juracy, restou-me maldizer as pessoas doentias que se realizam com a aflição dos outros, pedir a Deus um bom lugar para a alma do saudoso amigo e para alma de quem me fez ir  ao seu enterro, ascender-lhe uma vela e pagar tamanho mico.

CONTINUE LENDO

Artigo: O comportamento do mercado imobiliário de Vitória da Conquista na pandemia

Artigo: O comportamento do mercado imobiliário de Vitória da Conquista na pandemia Foto - Reprodução / Pexels

A expansão da oferta imobiliária em Vitória da Conquista, condiciona-se pela urbanização ocorrida em suas extensões. Conforme o desenvolvimento financeiro e, consequentemente, urbano, é observado na cidade, torna-se comum a disseminação de comércios, indústrias, fábricas e empresas, instaladas com o objetivo de se beneficiarem do consumo da população e, do mesmo modo, comportamento de toda a demanda de mão de obra da cidade. O recuo no setor imobiliário em meio à crise da década: Sejam casas para vender em Vitória da Conquista, alugar, ou até mesmo apartamentos, o novo perfil da demanda atuante neste mercado é mais exigente, estabelecendo maior seletividade ao optar por determinado empreendimento e almejando ter suas expectativas superadas. Em função da crise financeira em que o Brasil esteve imerso nesta década, cujo benefício foi exclusivo aos setores de empréstimo diante de tantos endividados, o setor imobiliário desacelerou o lançamento de imóveis, uma vez que o consumidor não estava mais tão propenso em destinar seus recursos para essa finalidade.

Veio o ano de 2019 e, com ele, uma nova perspectiva aos investidores do segmento. Com a desconfiança atreladas às eleições presidenciais indo embora, o consumidor retornou a confiança e, indicando desejo de residir em novos imóveis, contribuiu para o crescimento de 2% do setor no ano passado.

Como o isolamento social forçado pelo COVID-19 impacta no mercado de imóveis

Para 2020, o prognóstico de aceleração otimista. No entanto, a chegada do COVID-19 em solo brasileiro e, posteriormente, a determinação da quarentena, refletiu no bolso dos cidadãos, apontando a necessidade de corte de custos.

Em virtude disso, a oferta imobiliária moldou-se a atual carência de seu público, levando-se em conta que, em tempos de pandemia e isolamento social, as imobiliárias registraram maior procura por imóveis em Vitória da Conquista confortáveis, amplos e que reforçassem a independência. Além disso, o período significativo que as pessoas têm passado em casa também gerou impacto na forma delas exercerem seus ofícios, visto que o home office virou uma tendência.

Desta maneira, a estruturação de um ambiente mais amplo que, muitas vezes, comporte um escritório, viabiliza a realização das atividades profissionais devidamente, mesmo que em suas residências. Os apartamentos à venda em Vitória da Conquista que, anteriormente, pareciam ser os protagonistas do mercado, fruto do anseio do consumidor em morar em áreas compactas e seguras, já não são condizentes com a prioridade da demanda.

Deparando-se com uma nova perspectiva e se adequando às exigências do momento, 35% das construtoras do nosso mercado já concluíram negócios na pandemia, sinalizando uma sobrevida que, neste momento adverso, não era esperada.

CONTINUE LENDO

Genes Academia: exercício físico no tratamento da ansiedade

Genes Academia: exercício físico no tratamento da ansiedade

Hoje em dia, com a carga horária excessiva e a rotina incessante de trabalho, em que na maioria das vezes precisa que a pessoa fique sentada por horas, o estresse, a obesidade, o sedentarismo, todos estes fatores apontam como uma das principais causas para os transtornos de ansiedade. Estudos apontam amplamente os benefícios da atividade física na diminuição dos sintomas de ansiedade e o exercício físico é apontado por profissionais psicólogos e psiquiatras como aliado fundamental para o tratamento. A atividade física (musculação, treinamento funcional, natação, dança, caminhadas, lutas, etc.) é um excelente meio de liberação de tensões de estresse acumulado ao longo do dia a dia. O exercício físico promove no corpo a liberação de hormônios benéficos que promovem o bem-estar físico e emocional como a endorfina, que age no alívio de dores e como potente regulador emocional, sendo considerado por muitos um antidepressivo natural. Também, através do exercício físico, ocorre a produção de catecolaminas, que são os hormônios noradrenalina e adrenalina, que trabalham na elevação das taxas de metabolismo, aumentando o gasto calórico no corpo, tendo como consequência o emagrecimento saudável. Diversos estudos apontam que o excesso de peso contribui para o aumento da ansiedade, por isso controlar o peso trás também este benefício. Segundo a Organização mundial de saúde (OMS), uma pessoa adulta deve praticar no mínimo 150 minutos de atividade aeróbica semanais, equivalente a 2 horas e meia. Mesmo com o dia a dia corrido em que vivemos hoje, é possível alcançar esse número recomendado, basta apenas dar o primeiro passo. Procure realizar suas atividades em grupo. Se for em casa, conte com a ajuda do marido, da esposa e filhos. Se for numa academia, busque interagir com outros praticantes ou convide um amigo para ir a academia com você. Os especialistas já provaram que o exercício realizado em grupo aumenta a adesão do aluno e os resultados são otimizados. Além de contribuir mais significamente com a melhora da ansiedade e depressão. Outra dica importante é optar por algum exercício que lhe proporcione mais prazer. Para alguns a competição é um estímulo interessante, já outros preferem um componente lúdico para se sentir mais atraído em realizar o exercício. Seja qual for sua preferência, procure o que mais te agrade e inicie já.


Artigo: Sou professor e essa é a minha MISSÃO!

Artigo: Sou professor e essa é a minha MISSÃO! Foto: Divulgação

Hoje acordei com um sentimento de alegria, na verdade foi quase que como saltar da cama, com um impulso de querer começar logo o meu dia, e sabe o porquê de tanto entusiasmo? Porque começo uma nova fase na minha vida e nada melhor do que fazer aquilo que você está predestinado a fazer. Desde criança sempre tive um sentimento de querer ajudar as pessoas, tanto que logo cedo já descobri que trabalharia na área da saúde. Sempre tive essa vontade de querer entender as pessoas para ajudá-las, ouvindo-as compreendia suas dores, e buscava dar o melhor de mim. Com tudo o que ouvia e observava, aprendi que cada ação tem uma reação e com isso ia trilhando o meu caminho. Desde 1996 sempre estive envolvido com algo que agregasse valor as outras pessoas. Sempre foi assim e nada mudou. Fazer parte disto está intrinsecamente em mim. Em 2005 tornei-me professor, comecei a dar aulas e gostei, tive a sensação gostosa do que é poder passar experiências e conhecimentos e vibrar quando o aluno aprendia aquilo que eu ensinei. Logo pensei, preciso juntar as duas coisas: Saúde e Educação, e a própria vida jogou-me para o curso de Educação Física da Universidade Católica de Brasília. Com a educação física é possível realizar sonhos. É bem verdade que muitos matriculam em uma academia com interesse em emagrecer e eu sei que a maioria está pensando em ter aquele ¨shape¨ perfeito, mas sabe qual é a realidade? Vou contar uma história: Imagine uma pessoa que passa por problemas conjugais, que se olha no espelho e não se sente bem com o que vê, sente um vazio, tristeza. Mas ela decide matricular-se em uma academia e chegando lá o professor pergunta “qual o seu objetivo?” E ela prontamente responde: “emagrecer”. Pois bem, na realidade, o objetivo dela está além de perder uns quilinhos. Muitos buscam algo mais profundo e duradouro do que os efeitos no corpo, muita gente está em busca de sentir-se bem consigo mesma, melhorar a sua autoestima, ser aceita, ser reconhecida pelo esforço e dedicação e melhorar as relações sociais e afetivas. É bom demais poder fazer parte da caminhada de alguém, ver seu crescimento. Minha profissão é assim, tenho a oportunidade de acompanhar centenas de pessoas, e vibrar com aquelas que estão firme em seu propósito, pois estas tem em mim um aliado nas lutas diárias. Ter clareza do seu propósito faz a vida ter mais sentido, caso contrário, esta se torna vazia, o que quer dizer não viver e apenas ver o tempo passar. Sou professor e essa é a minha MISSÃO! (Valter Carvalho, Educador Físico - CREF 8022 G/BA )


Artigo: Somos grandes; podemos mais

Artigo: Somos grandes; podemos mais Foto: Wilker Porto | Brumado Agora

Ser campeão baiano sempre é muito bom. Sobre o rival é melhor ainda. Mas a festa poderia ser ainda mais grandiosa. O público pagante em cada um dos jogos decisivos foi de 20 mil. O que poderíamos fazer para este público fosse melhor? Convencimento? Valorização? Será que todos os valores desta atividade econômica estão engajados e entendem a importância de produzir um entretenimento com intensa emoção e paixão? Hoje tenho a consciência que, se todos se unirem com este objetivo, teremos força suficiente para transformar ainda mais estão paixão em um grande negócio para todos os envolvidos e, consequentemente, teremos times mais fortes e competitivos. O fortalecimento da região Nordeste no futebol brasileiro é evidente e quem nega essa evolução não quer enxergar o óbvio. Mas ainda falta maior envolvimento e empenho de todos os atores neste mercado tão peculiar, o da bola.

O futebol baiano e nordestino tem muito potencial, mas é pouco explorado. Temos torcidas apaixonadas, que consomem o produto futebol o tempo inteiro: no estádio, pela TV, mídias sociais, produtos oficiais. no entanto, a proporção de torcedores/sócios entre os maiores clubes da região ainda é muito baixa. mas acreditamos em uma tendência de crescimento.

O sucesso da Copa do Nordeste, torneio regional mais bem resolvido do país, é a chave para o sucesso. Que bom que estamos de Volta! O crescimento dos clubes passa pela consolidação da competição, que precisa ter mais datas, de preferência nos finais de semana. Aqui temos uma grande oportunidade de ser criativo e buscar uma copa mais competitiva e rentável. Acredito em um modelo que possa melhor ser vendido para todos e que trarão resultados financeiros para a região. Consequentemente, teremos times mais fortes nas competições nacionais. Apresentaremos, em breve, para as entidades envolvidas um modelo e esperamos ser no mínimo ouvidos.

Vitória, Santa Cruz e Sport entram no Brasileirão com desconfiança pela imprensa nacional, apesar de serem clubes estruturados, com equipes bem montadas, técnicos de ponta e estádios próprios, somos apenas três, mas poderíamos ser mais. A diferença das cotas de TV pagas aos clubes no cenário nacional é absurda e a sobrevivência dos nossos só será possível através de muita criatividade e a valorização das divisões de base, além de assumirmos riscos inerentes destes orçamentos.

Me chateia quando ligo a TV e vejo o noticiário nacional, ao debater o título na Arena Fonte Nova, se referir ao Vitória como leão da Ilha. Inacreditável. E olha que são veículos de credibilidade, líderes entre os canais fechados. Onde está a profundidade na análise? Não podemos ficar implorando mais espaço no noticiário nacional, mendigando que os nossos gols na rodada tenham um pouco mais de atenção.

A mídia baiana merece um parágrafo especial. Este vetor talvez seja o mais importante na cadeia de produção do nosso entretenimento. Apesar de novos profissionais terem oxigenado a crônica local, ainda impera por aqui a mania de explorar assuntos vazios, a cobrança descabida, o sensacionalismo tolo. Vamos motivar o nosso público, enriquecer a indústria do futebol local e criar uma onda positiva. Essa onda pode trazer a sustentabilidade para nossos clubes, que são sócios torcedores. Estes sim, podem fazer a diferença a partir da conscientização de que a forma do clube ter grandes jogadores será através desta associação, independente do acesso aos estádios.

Minhas palavras finais vão para você, torcedor do Vitória: acredite mais, torça mais, se associe mais, vibre mais, vá ao estádios mais, se orgulhe mais e viva mais. Somos grandes. Podemos ser maiores. Yas, we can. Manoel Matos é vice-presidente do Vitória. O artigo foi publicado no Jornal Correio da Bahia.

CONTINUE LENDO

Artigo: De guardião a algoz da Constituição em uma tarde

Artigo: De guardião a algoz da Constituição em uma tarde Foto: Divulgação

Na conjectura pós-moderna, crescente ainda a inversão de valores predeterminados em uma Constituição de um Estado Democrático de Direito, que elenca em seu rol princípios e direitos fundamentais que ainda carecem de identidade, reconhecimento e implementação.

Não é contrassenso pensar que uma sociedade que prevê em sua Carta Política o direito de que “ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado da sentença penal condenatória”, ainda possui uma população “raciocinando” de uma forma que antevê a promulgação dos direitos e garantias fundamentais em sua Carta Constitucional.

 

Forçoso reconhecer que o povo brasileiro é influenciado pelas mídias sensacionalistas, acreditando, quando não levantam a hipótese da pena de morte, que a solução para conter a criminalidade é colocar no cárcere todos que infrinjam as leis, elevando o status desses supostos criminosos para verdadeiros inimigos da sociedade que não merecem sequer um julgamento justo e com todas suas garantias constitucionais asseguradas.

Entretanto, o motivo de grande preocupação é que demasiadamente aqueles que são os responsáveis por assegurar as garantias constitucionais estão cedendo cada vez mais a vozearia dos integrantes sociais, e agora chegou a vez do Supremo Tribunal Federal.

O STF, na última quarta-feira (17/02 - HC 126.292), decidiu ser cabível a execução provisória da pena antes do trânsito em julgado da sentença penal condenatória quando houver decisão de segundo grau ratificando as condenações criminais. Nestes casos, os condenados em sede de primeiro grau que tiverem sentenças condenatórias confirmadas em segunda instância poderão cumprir pena antecipadamente.

Até o julgamento, aqueles com sentença condenatória confirmada em segundo grau poderiam recorrer em liberdade, valendo-se de recursos especiais, extraordinários ou Habeas Corpus, com 25% de chances de reverter a decisão em Brasília, conforme os dados citados pelo Ministro Gilmar Mendes.

Mantendo o devido respeito ao Supremo, mas inegável é o fato de que o Estado Democrático de Direito sofreu mais uma significativa perda em termos de garantia processual penal, visto que a decisão da Suprema Corte modificou o entendimento jurisprudencial que prevalecia no Tribunal desde 2009, oportunidade na qual o Plenário asseverou a literalidade do art. 5º, inciso LVII, da Constituição Federal, reforçando a presunção de inocência até o trânsito em julgado da sentença penal condenatória.

Agora, com essa reviravolta, os condenados com sentenças confirmadas em segundo grau de jurisdição poderão ser levados ao cárcere para cumprirem pena que ainda estão em discussão. Uma lástima!

No entanto, o que causou estranheza foi utilização da clemência popular como um dos argumentos para embasar os votos.

Em que pese ser alarmante a vontade da sociedade brasileira em ver todos os que infringiram às normas enclausurados em um sistema penal totalmente arruinado, é ainda mais preocupante o STF endossar esse pensamento.

O Supremo deve abster-se em proferir condenações pelo simples fim de calar a sociedade, fazendo valer, além do princípio da presunção de inocência, todos os outros conquistados e solidificados na Constituição Federal, uma vez que é o guardião desta.

Por fim, logrando que busquem uma reflexão ainda maior, encerro parafraseando Montesquieu: “quando a inocência dos cidadãos não é garantida, tampouco o é a liberdade”.

 

JOÃO RAFAEL AMORIM - Advogado Criminalista, pós-graduando em Ciências Criminais.

CONTINUE LENDO