Embasa é orientada a retirar caixa de água em escola de Caraíbas em razão de risco aos alunos

Embasa é orientada a retirar caixa de água em escola de Caraíbas em razão de risco aos alunos
Foto - Divulgação


O Ministério Público estadual recomendou que a Embasa retire, no prazo de 20 dias, um reservatório de água em uma escola no distrito de Vila Mariana, na zona rural de Caraíbas, em razão dos riscos à segurança das pessoas que frequentam a escola. Segundo o promotor de Justiça  Marco Aurélio Rubick, autor da recomendação, desde o dia 2 de março os estudantes da escola municipal Francisco Melvino foram realocados para terem acesso à educação em outro imóvel, em situação de total falta de estrutura, em razão do risco oferecido pelo reservatório à escola, aos funcionários e às crianças e adolescentes que ali estudam. “O objetivo é possibilitar o retorno às atividades escolares de modo regular, com a transferência do local de armazenamento de água para outro local”, afirmou o promotor de Justiça. Ele complementou que já foram tentadas várias formas de solução do problema, mas sem sucesso. “Os alunos estão há algum tempo sem poderem estudar na escola e o Município alugou um local com estrutura bastante inferior”, destacou. No documento, o MP recomendou ainda que a demolição do reservatório ocorra nos termos da regulação técnica para não comprometer a estrutura da escola municipal Francisco Melvino e que seja assegurado o fornecimento de água à comunidade e à própria escola, de modo a evitar que a própria demolição do reservatório também seja um causador de distúrbios, em função da falta de água. “Já se passaram mais de cinco meses desde que a situação foi apresentada à Embasa sem, no entanto, haver resolução para assegurar o retorno das aulas dos estudantes no prédio público”, afirmou o promotor de Justiça.


Comentários


Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.



Deixe seu comentário

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Saiba Mais