Estudo da Uesb identifica recipientes biodegradáveis que melhoram a produção de eucalipto

Estudo da Uesb identifica recipientes biodegradáveis que melhoram a produção de eucalipto Foto - Divulgação / UESB

Na produção de mudas florestais, a qualidade é alcançada através de um conjunto de técnicas de manejo, empregadas durante o processo da sua formação. O uso de recipientes é um desses cuidados que deve ser observado, já que eles permitem melhor controle da nutrição e proteção das raízes, além de facilitar o manejo no viveiro, no transporte e no plantio. Atualmente, os recipientes mais utilizados para produção de mudas florestais são derivados de petróleo, porém, novas alternativas que causam menor impacto ao ambiente vêm ganhando espaço no setor. Isso porque os tubetes, como são chamados os recipientes derivados do petróleo, podem causar restrição ao desenvolvimento das raízes, favorecendo o surgimento de deformações, que podem permanecer durante o crescimento das plantas no campo. Assim, a busca por novas tecnologias, que conciliem os aspectos econômicos e ambientais, tem sido um campo fundamental para a garantia da competitividade e da sustentabilidade do setor florestal brasileiro. Com vários trabalhos de pesquisa e de avaliação tecnológica de recipientes alternativos em andamento no país, um estudo científico desenvolvido no Programa de Pós-Graduação em Agronomia da Uesb está se destacando. O trabalho “Recipientes biodegradáveis e composto orgânico na produção de mudas de eucalipto” avaliou a qualidade das mudas de eucalipto produzidas em recipientes biodegradáveis (chamados de paperpots) e em tubetes, associadas à incorporação de composto orgânico.