Pesquisa revela que mais de 50% das brasileiras desistem de engravidar por causa do zika

Pesquisa revela que mais de 50% das brasileiras desistem de engravidar por causa do zika Foto: Wilker Porto/ Brumado Agora

Conforme dados de pesquisa publicada nesta sexta-feira (23) no "Journal of Family Planning and Reproductive Health Care",  mais da metade das brasileiras em idade reprodutiva está tentando evitar a gravidez por causa da epidemia de zika que atinge o país desde 2015. O levantamento foi realizado em junho, com 2.002 mulheres com idades entre 18 e 39 anos, com formação superior e que vivem em zonas urbanas. Esse grupo corresponde a 83% da população feminina total. Do total, 56% das mulheres entrevistadas interrogadas responderam ter evitado, ou se esforçado para evitar uma gravidez em razão da epidemia de zika. Pelo menos 27% disseram não ter tomado qualquer medida, enquanto 16% restantes não tinham o desejo de ter um filho, independentemente da epidemia. A epidemia que atinge principalmente a América Latina se deve ao zika, um vírus transmitido pelo mosquito Aedes aegypti que pode causar graves anomalias cerebrais nos recém-nascidos, cujas mães tenham sido infectadas. No Brasil, o país mais afetado, já conta cerca de 2.000 casos de microcefalia potencialmente ligados ao vírus.