Artigo: A emoção vende

Artigo: A emoção vende

Por Carlos Prates

 

De forma consciente ou não, vendemos produtos, serviços e a nossa própria imagem.  Para termos eficácia em vendas, devemos refletir sobre os motivos que levam os nossos clientes a comprarem. Há algum tempo eu li essa frase: “Vivemos para obter prazer e evitar sofrimentos”. Conscientemente ou não, o cliente compra um televisor, geladeira, carro, camisa, sapato ou qualquer outro bem, motivado pela sensação de prazer e de merecimento. Normalmente, as decisões de compras ocorrem primeiro na emoção e depois as justificamos com argumentos racionais. “Eu mereço. Trabalhei muito esse ano...” Há um outro fator que impulsiona a venda e está relacionado com o status pessoal e de crescimento social. É comum comprarmos um produto porque uma outra pessoa o comprou e desejamos imitá-la ou mostrar para ela que também possuímos dinheiro para tal. A propaganda feita no Brasil e no Mundo utiliza testemunhos de celebridades e especialistas para influenciar o consumidor na hora da compra. Um outro desejo que temos é o de “pertencer” a um determinado grupo social. A emoção nos impulsiona para comprar, porque ela não é lógica. Se assim fosse, não teríamos inúmeros produtos que usamos apenas uma ou duas vezes e depois os deixamos guardados ou fazemos doações. Liquidação e descontos são as duas palavras que mais chamam a atenção dos consumidores. Às vezes eles são persuadidos a comprar um produto, pela agradável sensação de que “ganharam” da empresa ou porque fizeram uma compra “inteligente”.  Numa liquidação é comum o cérebro ficar “cego” e a emoção agir com total liberdade. Talvez esses e outros fatores justifiquem os motivos de tantas compras no Natal e Rèveillon. Além do hábito de dar e receber presentes nessa época do ano, temos no Rèveillon a renovação da esperança de que o ano seguinte será melhor. Da próxima vez em que estiver vendendo ou comprando um produto, analise cuidadosamente o fator emoção. Como sabiamente afirmaram Roberto e Erasmo Carlos “...se chorei ou se sorri, o importante é que emoções eu vivi”.


Artigo: 10 dicas para tornar-se um grande vendedor

Artigo: 10 dicas para tornar-se um grande vendedor

Por Carlos Prates


Na segunda quinzena de junho, o professor e escritor brumadense lançará no Município o Manual de Atendimento, Vendas, Negociação e Comunicação (foto). Confira algumas sugestões para você aprimorar a capacidade de atender e de vender: 1) Acredite no seu potencial de vendedor. Afirme isso diariamente e trabalhe com persistência e criatividade, procurando novas informações – livros, revistas, CDs, DVDs, internet - que contribuam para aumentar as vendas dos seus produtos e serviços. Lembre-se de que o sucesso de hoje não garante o sucesso de amanhã; 2) Observe os melhores vendedores da sua loja e da concorrência, leia bons livros e assista a vídeos. Molde a sua personalidade, adaptando o que julgar mais adequado a sua personalidade. Há grandes empreendedores, famosos e anônimos que podem nos auxiliar com os seus exemplos de sucesso e criatividade na arte de atender e vender; 3) O Gerente e o VR - Vendedor Referência, podem ser grandes mestres de vendas para você. Tenha humildade para aprender com eles e com os demais colegas; 4) Crie uma lista de objetivos de venda que deseja alcançar a curto, médio e longo prazos. Tenha foco no que deseja alcançar, seja persistente e otimista. Constantemente, visualize os benefícios dos seus esforços; 5) Enfrente os obstáculos que estejam atrapalhando a sua carreira de vendedor. Alguns dos mais comuns são: o medo do “NÃO”; procrastinação, ou seja, o hábito de ficar adiando as ações necessárias; desorganização e falta de planejamento e tempo para as ações mais importantes e que levarão ao alcance dasmetas; 6) O mais importante em vendas é ter paixão pelo que faz e comercializa. Se você não tem paixão pelo que vende, busque mudar de empresa; 7) Leve a sua carreira profissional a sério e não seja apenas mais um “tirador de pedidos” que atua no varejo; 8) Desenvolva a capacidade de motivar a si próprio, seja persistente e criativo; 9) Desenvolva conhecimentos em marketing de varejo e de serviços. Essa ciência vem cada vez mais impactando a maneira de atender e vender, presencial ou virtualmente; 10) Saiba emocionar a si próprio e principalmente os seus clientes. Leia e releia o próximo tema, pois ele é “a diferença que faz a diferença” na hora de atender e vender.


Artigo: Os principais erros no atendimento ao cliente

Artigo: Os principais erros no atendimento ao cliente

Por Carlos Prates
 

Fique atento as suas ações e também as dos colegas, na hora do atendimento e nas vendas. Corrija o mais rapidamente possível os eventuais equívocos, antes que a sua loja perca mais um cliente. a) Falta de atenção ao cliente. Esse é o mais comum e ele possui outras vertentes, tais como achar que o cliente não tem dinheiro ou não deseja comprar (é “caroço”), preconceito racial ou de classe, falta de concentração e conversas desnecessárias entre os vendedores e demais funcionários da loja; b) Comunicação verbal e corporal inadequada. O mais comum é o vendedor falar demasiadamente e não ter a capacidade de ouvir e entender o que o cliente deseja. Ansiedade para fechar a venda, preguiça ou lentidão para atender ao cliente. Timidez ou não possuir a desenvoltura necessária para gerar empatia e conquistar o consumidor. A comunicação é a base das transações comerciais. O funcionário que não sabe  se comunicar terá inúmeras dificuldades para alcançar as suas metas; c) Falta de cortesia e educação dos atendentes, vendedores e gerentes. Cortesia e educação são essenciais para conquistar e manter os clientes. Há pessoas que atendem com má vontade e isso é externado no seu tom de voz, semblante e na forma de caminhar. Se o gerente for do tipo mal educado e grosseiro, a tendência é que uma grande quantidade de colegas da equipe copie o seu modo de agir. Normalmente, agimos conforme os nossos líderes; d) O mix de produtos está inadequado ao público-alvo ou há falta de produtos. Às vezes a loja não consegue vender porque os produtos não são adequados às necessidades dos clientes ou o sistema de estoque está com falhas; e) O atendimento telefônico é ruim. Esse talvez seja um dos pontos mais fracos das lojas, pois o atendimento por telefone costuma ser negligenciado pela gerência e também por muitos funcionários. Se o cliente for até a loja ele não “terá a porta batida em seu rosto”. Porém, pelo telefone, é comum não ser atendido ou chegar ao cúmulo de um funcionário “derrubar” a ligação para não atendê-lo. Junto a tudo isso, há uma má vontade quase generalizada em atender ao telefone, bem como a falta de conhecimentos técnicos para um serviço de excelência. f) Outros motivos. Há vários tipos de erros e a melhor maneira de identificar quais são é estar atento ao comportamento dos atendentes, vendedores e clientes. Esta é uma das principais funções do gerente da loja e demais colaboradores. Além disso, deve-se realizar pesquisas formais e informais junto aos clientes.


Artigo: Varejo - Manual de Atendimento, Vendas, Negociação e Comunicação

Artigo: Varejo - Manual de Atendimento, Vendas, Negociação e Comunicação

Por Carlos Prates
 
Em maio, Carlos Prates, professor e escritor brumadense, lançará em Brumado e Região Sudoeste, esse manual de orientações, com a finalidade de auxiliar os empresários, atendentes, vendedores, caixas, estoquistas e demais profissionais, a melhorar o atendimento ao cliente e incrementar as vendas. Confira um breve resumo das ideias: Técnicas de Atendimento - Aatender bem é simples mas não é fácil. O QUE VOCÊ DEVE FAZER: A boa vontade e o real interesse em servir ao próximo são capazes de fazer você superar eventuais deficiências técnicas. Ao desenvolver esses novos conhecimentos, você alcançará a excelência no atendimento ao cliente. √ Seja cordial - você deve atender bem a qualquer cliente. Para  isso, necessita superar eventuais preconceitos ou uma  má impressão inicial que o cliente cause. O tratamento "senhor" e "senhora" deve ser dispensado mesmo a jovens, a  não ser que o cliente autorize explicitamente o “você". Caso ele demonstre que gosta de ser chamado de “doutor”,  passe a fazê-lo e de forma natural. Não generalize o tratamento de “doutor”, pois soa falso e a maioria não gosta deste tratamento.

Por Carlos Prates
 
Em maio, Carlos Prates, professor e escritor brumadense, lançará em Brumado e Região Sudoeste, esse manual de orientações, com a finalidade de auxiliar os empresários, atendentes, vendedores, caixas, estoquistas e demais profissionais, a melhorar o atendimento ao cliente e incrementar as vendas. Confira um breve resumo das ideias:
 
 
TÉCNICAS DE ATENDIMENTO - ATENDER BEM É SIMPLES MAS NÃO É FACIL
 

O QUE VOCÊ DEVE FAZER

 

A boa vontade e o real interesse em servir ao próximo são capazes de fazer você superar eventuais deficiências técnicas. Ao desenvolver esses novos conhecimentos, você alcançará a excelência no atendimento ao cliente.

 

√ Seja cordial - você deve atender bem a qualquer cliente. Para  isso, necessita superar eventuais preconceitos ou uma  má impressão inicial que o cliente cause. O tratamento "senhor" e "senhora" deve ser dispensado mesmo a jovens, a  não ser que o cliente autorize explicitamente o “você". Caso ele demonstre que gosta de ser chamado de “doutor”,  passe a fazê-lo e de forma natural. Não generalize o tratamento de “doutor”, pois soa falso e a maioria não gosta deste tratamento.

 

√ Atenda de imediato - não   deixe o cliente esperando, principalmente se o serviço   que estiver  fazendo não tiver relação com o assunto que o   cliente  veio tratar. Para quem espera, um  minuto  parece  muito tempo. No entanto, depois de ter sido inicialmente  atendido  (mesmo que   só com a frase " favor aguardar um instante que,  eu o  atenderei"), o cliente tenderá a uma maior  paciência. Este é um dos maiores problemas no atendimento: falta de atenção e conversas paralelas entre funcionários, sobre assuntos irrelevantes para o consumidor. Atitudes como estas desqualificam a importância e a presença do cliente.

 

√ Atue com rapidez – a maioria das pessoas vive cheia de atividades e pressionada pelo tempo.  Não  podemos esquecer, entretanto, que rapidez não é sinônimo de descaso ou irritação. Por outro lado, há cliente que deseja mais atenção e menos pressa. Cada caso é um caso. Estude os vários perfis de consumidores.

 

√ Forneça orientações seguras e verdadeiras – a sua reputação e a da empresa estão interligadas. Construir uma marca leva tempo e para destruí-la basta um segundo. O cliente está cada vez mais bem informado e a mentira “tem pernas curtas”, sendo rapidamente desmascarada. Forneça  todas as orientações necessárias, evitando detalhes que são irrelevantes. Descubra quais detalhes são mais importantes para o cliente.

 

√ Evite termos técnicos - uma situação assim causa incompreensão ou constrangimento. O ideal  é  usar   expressões  simples e em voz modulada e clara. É importante ser  paciente; as pessoas não são culpadas por não terem compreendido a mensagem. Se você tiver que usar termos técnicos, explique o que eles significam. Por outro lado, se você estiver diante de um cliente que conhece o assunto, procure nivelar a comunicação e perceber se a mesma está sendo bem compreendida. A experiência lhe dará conhecimento para comunicar de forma diferenciada e adequada aos vários perfis de consumidores.

 

 √ Não dê ordens - ninguém gosta de ouvir ordens, especialmente o cliente. Use um tom de voz adequado, suave e que transmita desejo de interagir com o cliente. As palavras podem agradar ou ferir as pessoas. Pense muito antes de responder às perguntas dos clientes e como vai pronunciar as palavras. Um NÃO e um SIM podem ser ditos de várias maneiras.

 

√  Assuma os erros e equívocos - nas informações  prestadas  a  verdade é fundamental. Mesmo não sendo agradável, é melhor  assumir  uma  falha  eventual do que dar ao cliente a impressão de que  está escondendo informações ou eventuais problemas.

 

√ Busque soluções criativas -  este é o seu diferencial. Fique atento às sugestões e críticas dos consumidores. Faça anotações e troque ideias com o Gestor, Supervisor e Colegas.

 

O QUE VOCÊ DEVE EVITAR

 

√ Má comunicação – este é um dos maiores problemas no atendimento ao cliente e no momento das vendas. Utilize uma linguagem verbal e corporal adequada a cada perfil de cliente. Fale com entusiasmo – quando a situação exigir – e principalmente, saiba ouvir. Pense com a cabeça do cliente e imagine as suas dúvidas.

 

√ Timidez e medo de expressar opiniões – há vendedores e clientes que são tímidos. Se este for o seu caso, vá aos poucos treinando as várias abordagens de atendimento e de vendas. Sempre que possível, olhe nos olhos do cliente. Se o mesmo evitar o olhar, você deve direcionar o seu olhar para um ponto neutro. Quando estiver convicto das suas opiniões, não tenha receio de expressá-las. Conheça em profundidade os produtos e serviços da sua empresa.

 

√ Semblante fechado e mau humor – se tem algo que afasta as pessoas, é o mau humor e a grosseria. Treine o seu sorrio para que ele seja espontâneo e verdadeiro. Profissional de vendas que não sabe sorrir não vende. Para que isso ocorra é necessário gostar de pessoas e sentir prazer em atendê-las.

 

√ Falta de atenção – esteja sempre atento ao que está ocorrendo em sua loja, supermercado e mercearia, a exemplo da movimentação dos clientes, o relacionamento com os demais colegas de trabalho e a exposição dos produtos. Esteja  pronto para sinalizar ao cliente, quando for o caso, que você o viu que que irá atendê-lo, caso esteja se relacionando com outra pessoa.

 

√ Falta de motivação –  ser automotivado é fundamental em todos os aspectos da nossa vida. Em atendimento e vendas, ele é imprescindível. A motivação é contagiante e a falta dela, também. Transmita energia positiva ao cliente e transforme as características dos produtos em benefícios e facilidades para a vida pessoal e profissional do seu cliente, quando for o caso. Vejamos alguns exemplos: quando o cliente deseja comprar uma roupa ou sapato, o mesmo tem o propósito de estar na moda, bem vestido e ser aceito pelo seu grupo social. Caso sejam alimentos e bebidas, o consumidor deseja momentos de prazer, saúde e celebração entre familiares e amigos. 

 

Desejo que essas ideias sejam úteis a sua vida pessoal e profissional. Vá em frente e sucesso!

CONTINUE LENDO

Artigo: 'William Bonner' o que podemos aprender com ele?

Artigo: 'William Bonner' o que podemos aprender com ele?
Foto: Divulgação

Por Carlos Prates

 

Esse profissional está presente em milhões de lares, segunda à sexta-feira. É visto, analisado, criticado e elogiado por milhões de pessoas.. Vejamos um resumo da sua trajetória profissional: Formou-se em Comunicação Social com ênfase em Propaganda e Publicidade pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP). Iniciou a carreira profissional em 1983, como redator publicitário. No ano seguinte, na Rádio USP FM, tornou-se locutor. Em 1985 começou a trabalhar na TV Bandeirantes SP, como locutor e apresentador. Em junho de 1986, convidado pela TV Globo de São Paulo, transferiu-se para a emissora, onde passou a acumular a função de apresentador com a de editor de uma edição do telejornal local, SPTV. Em 1988, tornou-se também apresentador do Fantástico. No ano seguinte, transferiu-se para o Rio de Janeiro. Apresentou o Jornal da Globo entre 1989 e 1993 ao lado de Fátima Bernardes, o Jornal Hoje (de que foi editor-chefe entre 1994 e 1996) e, desde abril de 1996, o Jornal Nacional, jornal que apresenta na TV Globo.

Por Carlos Prates

 

Esse profissional está presente em milhões de lares, segunda à sexta-feira. É visto, analisado, criticado e elogiado por milhões de pessoas.. Vejamos um resumo da sua trajetória profissional:

 

Formou-se em Comunicação Social com ênfase em Propaganda e Publicidade pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP). Iniciou a carreira profissional em 1983, como redator publicitário. No ano seguinte, na Rádio USP FM, tornou-se locutor.

 

Em 1985 começou a trabalhar na TV Bandeirantes SP, como locutor e apresentador. Em junho de 1986, convidado pela TV Globo de São Paulo, transferiu-se para a emissora, onde passou a acumular a função de apresentador com a de editor de uma edição do telejornal local, SPTV.

 

Em 1988, tornou-se também apresentador do Fantástico. No ano seguinte, transferiu-se para o Rio de Janeiro. Apresentou o Jornal da Globo entre 1989 e 1993 ao lado de Fátima Bernardes, o Jornal Hoje (de que foi editor-chefe entre 1994 e 1996) e, desde abril de 1996, o Jornal Nacional, jornal que apresenta na TV Globo.

 

O que podemos aprender com ele?

 

Guardadas as devidas proporções entre os nossos talentos e os de William Bonner, creio que ele pode nos auxiliar a compreender melhor como se preparar para os desafios profissionais:

 

1) Ele não se tornou um dos maiores apresentadores de telejornais do Brasil e do mundo da noite para o dia.  Desenvolveu habilidades e competências diversificadas e não apenas de locução e de leitura das notícias, como alguns apresentadores. Fez escola no rádio, que é essencial para desenvolver a locução e a capacidade de criar e imaginar.  A dicção dele é perfeita, bem como os textos do JN. Há uma sintonia entre áudio e vídeo.

 

2) Soube fazer parcerias dentro e fora das emissoras em que trabalhou e, quando saia de uma para outra, não falava mal ou brigava com os colegas de profissão, fato muito comum no setor de mídia, principalmente a televisão.

 

3) Soube  estar no lugar certo, na hora certa e com as pessoas certas (rede de contatos). Mais do que isso, se preparou para assumir funções de maior complexidade e não somente apresentar o telejornal, que por si, já é um desafio e tanto.

 

4) Abraçou as oportunidades e não teve medo de falhar e das críticas alheias. Na entrevista concedida a Gabi, ele se diz “arrombador de portas”. Não tem medo da negativa. Há um ditado popular que sabiamente afirma: “oportunidade é um cavalo selvagem que passa sem sela. Se você não montar, talvez ele não volte nunca mais”.

 

 - Sabe cuidar da sua imagem pessoal e não sai fazendo e falando bobagens como muito apresentadores, atores e atrizes da TV.  Ele sabe que a sua imagem precisa transmitir credibilidade e equilíbrio emocional.

 

- Busca o equilíbrio emocional no ambiente familiar e não esquece de cultivar a humildade.  Além disso, transmite para o público a imagem de um homem feliz e apaixonado pelos filhos e a esposa Fátima Bernardes.

 

Exercícios práticos

 

Seja você estudante, profissional experiente, dona de casa ou qualquer atividade que exerça, recomendo os seguintes exercícios:

 

Assista na íntegra a raríssima entrevista que Bonner concedeu à Marília Gabriela (Gabi), no canal GNT. A mesma está disponível no You Tube.

 

Se você quiser aprofundar sobre comunicação e telejornalismo, recomendo a leitura do seu livro “Jornal Nacional – Modo de Fazer. O valor é acessível e os conselhos são sábios.

 

Por último, recomendo os exercícios e observações que solicito a todos os  alunos do curso de oratória e desinibição. Avalie os seguintes detalhes em todos os telejornais que assistir durante a próxima semana:

 

- Expressões faciais e os gestos dos apresentadores;

 

- Como eles se vestem e combinam as cores das roupas com as cores do cenário, penteado dos cabelos, maquiagem, iluminação do local, etc;

 

- Volume, ritmo e inflexão da voz;

 

- A clareza e objetividade do texto;

 

- Utilização de recursos visuais e como eles complementam o que está sendo dito através da voz;

 

- Os recursos audiovisuais que são utilizados para prender a nossa atenção;

 

- Como alguns apresentadores “improvisam” de maneira previamente combinada;

 

Parece simples e fácil. Não se iluda. Somente a realidade, experiência e o tempo  irão mostrar o que e como se tornar William Bonner na sua profissão.

CONTINUE LENDO

Artigo Aposentadoria: Oportunidades e ameaças

Artigo Aposentadoria: Oportunidades e ameaças
Foto: Brumado Agora

Por Carlos Prates

 

Aposentar não significa deixar de ter uma atividade. É claro que cada pessoa tem a sua história de vida. Algumas pessoas quando aposentam preferem não mais voltar ao mercado de trabalho. Outras, mudam de profissão, voltam a estudar, desenvolvem trabalhos filantrópicos. A seguir, relacionamos algumas das principais mudanças no comportamento do aposentado: 1) Aumento do tempo de vida depois da aposentadoria. Como todos sabemos, a média de idade está aumentando e o tempo após a aposentadoria está ficando maior, sem contar que algumas pessoas deixam de trabalhar em pleno vigor físico e intelectual; 2) Novas tecnologias possibilitam trabalhar em casa e o contato com outras pessoas. Com o advento da internet, celular e fax estão facilitando o teletrabalho (trabalho a distância). Essas tecnologias permitem a interação com as demais pessoas; 3) Opções para voltar a  estudar e/ou dedicar a outra profissão. Testemunhamos inúmeros exemplos de pessoas que voltaram a estudar e construíram uma nova profissão. Outras voltaram a estudar por realização pessoal, objetivando também ampliar os seus relacionamentos. As dúvidas são inúmeras e cada pessoa tem as suas peculiaridades. Utilizando um bom planejamento, através de informações colhidas junto às pessoas que se aposentaram, bem como um diálogo franco com os familiares, você esclarecerá algumas dessas dúvidas: I) Quando devo me aposentar? Se você estiver sentindo-se bem e houver possibilidade de continuar trabalhando, talvez seja melhor adiar a aposentadoria. Você deve levar em consideração, também, os aspectos de natureza financeira. Em resumo, faça um diagnóstico da situação e analise as oportunidades e ameaças. Tenha planos para o melhor e o pior cenário. II) O que eu tenho a ganhar?  Mais tempo para si  e para a família, realizar novas metas e a possibilidade de trabalhar em outra profissão. É comum dedicarmos uma vida inteira a uma profissão que pouco nos realizou, mas, nos proporcionava “segurança” no emprego, status, benefícios sociais. Se este for o seu caso, que tal pensar numa nova profissão? III) O que tenho a perder? Em quase todas as aposentadorias, a redução de salário é fato comum. Além disso, dependendo da sua relação emocional com a empresa e a sua atividade, poderá sentir saudade do ambiente de trabalho, status, relacionamento social, entre outros fatores. Normalmente, o aposentado sente alívio nos primeiros meses da aposentadoria e posteriormente um vazio interior. Conforme dissemos, cada caso tem as suas peculiaridades. IV) O que fazer com o tempo “ocioso”?  Desenvolva o “ócio criativo”. Volte a estudar, leia, leia e leia. Conheça novos lugares e pessoas. Dê mais carinho e atenção aos seus familiares. Tenha cuidado com os jogos de azar e o álcool, pois eles estarão sempre rondando a sua mente. Há um ditado popular que afirma: “mente ociosa, moradia do diabo.” V) Como posso melhorar o convívio familiar? Conforme afirmamos, proporcione mais carinho e atenção para o cônjuge, filhos e netos. Desenvolva / aprimore o gosto por atividades domésticas. Crie novas rotinas - andar, nadar, escrever, trabalhar, dançar. VI) Como gerir as finanças? Faça um orçamento familiar, evitando  gastar mais do que ganha. Inevitavelmente, o seu padrão de consumo terá que ser reduzido. Não empreste dinheiro. Ele é a sua reserva (avalie os riscos). Não coloque um negócio próprio (avalie os riscos). Assim, esteja preparado para tomar essa difícil decisão, pois mais cedo ou mais tarde você terá de fazê-lo. Se você é jovem, pense no futuro e não esqueça de investir em previdência, para dispor de renda na aposentadoria.


Criatividade para reduzir despesas e enfrentar as turbulências econômicas e políticas

Criatividade para reduzir despesas e enfrentar as turbulências econômicas e políticas
Foto: Wilker Porto | Brumado Agora

Por Carlos Prates

 

Os especialistas afirmam e já estamos sentindo na pele os efeitos maléficos do baixíssimo crescimento do PIB – Produto Interno Bruto de 2014 e o agravamento da situação econômica nos primeiros três meses de 2015. Creio que iremos necessitar fazer muita economia e reduzir despesas, bem como segurar com unhas e dentes os empregos. Para tal, precisaremos de criatividade, motivação, apoio familiar e uma boa pitada de sorte. Assim, relacionamos algumas dicas para estimular a criatividade. Avalie o que pode ser útil para a sua vida pessoal e profissional: 1)     Faça um plano de ação, em conjunto com os seus familiares, objetivando analisar  o orçamento doméstico (receitas e despesas), o que fazer para aumentar as receitas e diminuir as despesas; 2)     Idem, para avaliar como está o seu emprego e dos seus familiares, quais as oportunidades e ameaças, com a possibilidade de piora da situação econômica do país; 3)     Aprimore a sua capacidade de leitura e busque mais notícias relacionadas à economia e a sua atividade profissional; 4)     Veja de que maneira você poderá contribuir para que a sua empresa economize e aumente as vendas. Isso sinalizará para os seus chefes o quanto você está comprometido; 5)      Faça anotações e tenha sempre em mãos, papel, caneta e lápis. Pesquisas afirmam que tendemos a esquecer mais de 80% do que julgamos lembrar. Quantas mensagens você recebe por dia? Não confie somente na memória. Use também a memória do seu computador, agenda, caderninho e tudo que for necessário; 6)     Quando estiver diante de situações difíceis, busque a calma e depois parta para a solução. Ataque os seus  problemas de maneira ordenada. Tem um ditado popular que afirma: “ao descobrir qual é o problema, você já encontrou  metade da solução”. Se  você definir erroneamente o problema, as soluções serão ineficazes. 7)     Sempre que possível,  tenha atitudes positivas e otimistas. Nenhuma crise econômica, por mais difícil que seja, será para sempre. Alguns economistas falam que em 2016 a mesma será amenizada. Pelo sim e pelo não, tenha um plano que contemple até 2017. 8)  Escolha um lugar para pensar  alguns minutos por dia. Há pessoas que preferem o quarto, outras, o banheiro; quando estão caminhando, fazendo amor, ouvindo música, na internet, dançando, cozinhando, dirigindo. E você, quais os seus locais preferidos? Durante a minha vida eu já enfrentei muitas crises econômicas e situações turbulentas. Creio que o atual momento é muito difícil, pois envolve aspectos políticos, moral, ético e tudo isso está contaminando a economia e a confiança de todos nós que fazemos parte do imenso Brasil. Vamos pensar e agir com autoconfiança, sem perder de vista os fatos reais. Outro aspecto relevante é cobrar ações eficazes dos políticos, pois grande parte do que está ocorrendo na economia foi consequência de má gestão administrativa e corrupção, muita corrupção!


Artigo: Ações para manter o seu emprego

Artigo: Ações para manter o seu emprego
Foto: Wilker Porto | Brumado Agora

Por Carlos Prates


Tão importante quanto conquistar um ótimo emprego é saber mantê-lo. Infelizmente, muitos profissionais se esquecem ou não atentam para este detalhe essencial. Seguem algumas dicas que poderão contribuir para a manutenção do seu trabalho: 1. Tenha padrões de excelência e trabalhe com determinação. Estabeleça para você, metas audaciosas e não se acomode. Quem tende a fazer pouco, cada vez menos o faz. Esteja preparado para o mercado de trabalho e não, apenas, para a sua atual empresa. Hoje, infelizmente, quem tem um emprego, não tem nenhum. A qualquer instante a sua empresa pode falir, demitir ou ser vendida para outro grupo. Quando isso acontece, há demissões em massa, objetivando “enxugar” a folha de pagamento. 2. Invista em você. Cursos, palestras, videoconferências, livros, revistas, internet. Hoje, as possibilidades são infinitas. A vontade do funcionário é que costuma ser escassa. Tenha sempre uma reserva financeira para investir em sua carreira profissional. Desenvolva um plano de ação com metas pessoais e profissionais. 3. Procure se diferenciar. A concorrência é grande em todas as profissões. Há uma concentração de profissionais nas maiores e melhores cidades do País. Procure se diferenciar e torne-se especialista (sem perder a capacidade de ser generalista). Em muitos casos, é preferível você se preparar para um mestrado do que ficar fazendo cursos de pós-graduação. Avalie o que é melhor. Se você está começando a sua carreira profissional, descubra oportunidades de trabalho em cidades do interior. Você poderá obter experiências maravilhosas, contribuindo para melhorar a qualidade de vida das pessoas e ainda poupar um bom dinheiro para futuras especializações. O custo de vida em cidades do interior é  menor e não tem engarrafamentos no trânsito. A vida é a arte de relacionar com pessoas. Tenha uma agenda atualizada, compartilhe os seus conhecimentos com a sua rede e muito cuidado com o que fala. Seja comedido nos comentários e saiba administrar os conflitos. Caso eles ocorram, deixe uma saída honrosa para as outras pessoas (técnicas de negociação). A vida dá voltas e vocês poderão trabalhar juntos. 5. Aprimore as suas habilidades e competências. Seja qual for a sua profissão, tenha uma visão ampla do mundo e aprimore as suas habilidades de comunicação (verbal e por escrito), atendimento, vendas, relações interpessoais e negociação. Elas são imprescindíveis em qualquer atividade. 6. Esteja preparado para administrar as frustrações. O mundo empresarial e social lhe cobrará sucesso. Porém, antes de alcançá-lo, esteja preparado para enfrentar as frustrações. Mais cedo ou mais tarde elas acontecerão. Todo nós temos saliva, vaidade, inveja, ambição, amor, ódio e ressentimentos. Saiba compreender os seus sentimentos e os das outras pessoas. O mercado de trabalho está cada vez mais competitivo e a tendências de alguns profissionais, infelizmente, é puxar o tapete daqueles que estão no poder para assumir o lugar almejado. Cabe ressaltar que um bom plano não garante a sua execução. Comece com três ou quatro metas importantes e faça avaliações constantes. Ele deve ser flexível e se adaptar às mudanças.


Artigo: Segure com unhas e dentes o seu emprego

Artigo: Segure com unhas e dentes o seu emprego
Foto: Wilker Porto | Brumado Agora

Por Carlos Prates

 

Os cenários político e econômico indicam que o ano de 2015 será muito difícil: Juros, dólar e inflação em alta. Do ponto de vista dos investidores e de empresários, a desconfiança sobre o futuro do país é quase unânime. No dia (06/03) foi divulgada lista de políticos que serão investigados pelo STF – Supremo Tribunal Federal, e a mesma envolve o alto escalão do Senado e da Câmara de Deputados. Em resumo, tudo conspira contra o crescimento econômico. Assim, caso não surjam mudanças econômicas eficazes e  que o cidadão volte a acreditar na capacidade da Presidente Dilma Rousseff em continuar administrando o País, teremos uma onda de demissões em todos os setores. Seguem algumas sugestões para enfrentar eventuais momentos de turbulências que se avizinham: 1) Faça diferença e demonstre que você é imprescindível na sua empresa; 2) Busque especializar-se em atendimento e em vendas; 2) Reduza ao máximo as suas despesas e adie as que podem esperar, pois o cenário é de incertezas; 4) Combata todo e qualquer desperdício. Tenha orçamento doméstico realista e com clareza das receitas e despesas; 5) Tenha o Plano B, caso venha a ser demitido. Um bom planejamento requer, no mínimo, três cenários: o pior, o melhor e o intermediário. É bom que você se prepare para o pior, uma vez que, caso ele não ocorra, você deverá estar em melhores condições para aproveitar uma das outras duas opções restantes. 


Artigo: Plano de ação para aumentar as vendas e melhorar o atendimento

Artigo: Plano de ação para aumentar as vendas e melhorar o atendimento

O professor e escritor brumadense, Carlos Prates, autor do livro “A Arte de Atender e Vender no Templo das Compras” (foto), propõe algumas ideias para os profissionais do varejo. Há um ditado popular japonês que afirma: “Todos somos mais inteligentes do que qualquer um de nós”. Assim, um plano de ação bem elaborado e que envolva todos os funcionários da loja poderá colher ideias relevantes e que contribuam para as melhorias contínuas. Algumas das ideias são simples e óbvias, porém, nem sempre as lojas estão colocando em prática. Raramente encontraremos uma ideia que seja a “salvação da lavoura”, capaz de resolver todos os problemas da Empresa. Normalmente, é através da implantação de pequenas e constantes mudanças que resultam nas melhorias dos processos, no atendimento e em vendas. Reúna a sua equipe e mãos à obra: 1) Quais ações podem ser executadas para melhorar a qualidade do atendimento ao cliente? A primeira etapa a ser implementada é a de conhecer as reclamações do consumidor e o que pode estar afastando-o da loja. Se for o comportamento inadequado de um colega, a exemplo do mau atendimento, é preciso dar feedback e corrigir de forma imediata. Um profissional incompetente pode prejudicar a todos que fazem parte da Equipe; 2) O que pode ser feito para aumentar as vendas? Se a loja está com pouco fluxo de clientes, avalie a possibilidade de divulgar a mesma nas Redes Sociais e, cada funcionário com os seus amigos e familiares compartilharem e curtirem as postagens. Exibir produtos promocionais nas vitrines, elaborar encartes e panfletos para distribuição aos clientes. Um aspecto muito importante é aferir a taxa de conversão em vendas dos clientes que entram na loja. Saber por que os mesmos não estão comprando, é fundamental; 3) Defina os principais compromissos que você deve assumir para melhorar o seu desempenho profissional e dos demais vendedores. É preciso que cada profissional esteja consciente que deve se esforçar para aprimorar as habilidades e competências. O varejo é dinâmico e exige treinamento, constantes estudos e ampliação do conhecimento. Aprender é ter vontade e determinação, pois os recursos quase sempre estão disponíveis na loja e também na internet. Como podemos perceber, somente será possível colocar em prática essas e outras ideias, através do trabalho em equipe e contando com o envolvimento direto do lojista e do seu gerente. A liderança é fundamental para o sucesso do projeto.


Varejo: Como conquistar os clientes

Varejo: Como conquistar os clientes

Por Carlos Prates

 

O professor e escritor brumadense, Carlos Prates, autor do livro “A Arte de Atender e Vender no Templo das Compras”,  nos brinda com estas sugestões: 1) Cuide sempre dos detalhes no seu relacionamento com o cliente. Em geral ele gosta de cortesia, rapidez, simpatia e entusiasmo. Um bom dia pessoalmente ou através do telefone facilita o seu atendimento. Quando for pertinente, sorria com o semblante e com a voz. Um sorriso vence obstáculos e facilita a aproximação com o cliente. 2) Use a criatividade  para agregar valor ao seu atendimento. Porém, lembre-se  de que somente cortesia não resolve. Seja competente e conheça o que está oferecendo. Observe e anote tudo que puder ser melhorado. Ponha-se no lugar do cliente e analise as suas possíveis objeções. 3) Faça uso da inteligência emocional. Agimos mais pela emoção do que pela razão. A vida é a arte de relacionar com pessoas e para lidar com elas devemos compreender os seus valores – o que cada pessoa julga importante. Você torce pelo Flamengo e eu sou Vasco. A sua cor predileta é o azul e a minha é verde. Mesmo não concordando com a opinião das pessoas, saiba respeitar e enxergar as questões através do ponto de vista dos outros. 4) Quando possível, trate o cliente pelo seu nome,  pois ele soa como música suave aos seus ouvidos. Deixe o seu nome sempre presente na cabeça do cliente. Avalie a possibilidade de usar um crachá, em local visível, objetivando favorecer a comunicação verbal de ambos. 5) Saiba que o tempo e a paciência do cliente estão cada vez mais escassos. Faça de tudo para que o mesmo sinta-se confortável e prático fazer negócios com você. Valorize o tempo do cliente e o seu. 6) Todos buscamos reconhecimento. Elogie a si próprio e ao cliente, de maneira sincera. Quanto mais fazemos elogios sinceros mais as pessoas desejam ouvir a nossa voz. 7) Persistência e paciência são duas qualidades importantíssimas para o sucesso profissional. Aprenda com os erros e ouça a opinião dos clientes e dos colegas de trabalho. O trabalho de pós-venda é importante para garantir a satisfação do cliente e para que ele volte a comprar. Em geral as empresas gastam muito dinheiro para conquistar um novo cliente e se esquecem de dar um atendimento de excelência para os que já foram conquistados.  Fique atento aos detalhes. Eles podem fazer toda a diferença em nossa vida pessoal e profissional.


Artigo Antônio Torres: 'As calçadas'

Artigo Antônio Torres: 'As calçadas'
Foto: Wilker Porto | Brumado Agora

Por Antônio Torres

 

Um administrador público municipal mantinha um programa radiofônico que levava à população tomar conhecimentos das suas realizações à frente da prefeitura. Orientava o povo com relação ao comportamento de consciência e civilização de determinadas situações, entre elas, que os passeios eram a prioridade do pedestre, solicitando se adequarem a esse procedimento eliminando rampas e obstruções dos mesmos, proporcionando livre acesso aos usuários. Ocorre que não houve um decreto para essa finalidade e por conseguinte o povo fez ouvido mouco, não obedecendo a solicitação do alcaide. E continua tudo no mesmo, como dantes, no quartel de Abrantes. O proprietário de um imóvel, no centro da cidade, numa rua de muito movimento, construiu uma rampa na calçada objetivando as suas necessidades sem se importar com os transeuntes. Dessa forma o pedestre é obrigado a se deslocar para a rua, correndo o risco de ser atropelado por um veículo, pois a rampa é muito íngreme, causando dificuldades para o caminhante utilizá-la, e se o fizer, pode se desequilibrar e cair sofrendo consequências, principalmente pessoas idosas de poucos reflexos. Um comerciante vizinho, contou-me que, entre outros, um senhor de idade se locomoveu pela rampa, para não se deslocar para a rua de grande movimento de automóvel, desequilibrou-se, caiu e quebrou um braço. Ocorre que ninguém se responsabilizou pelo acidente nem o proprietário do imóvel nem o poder público, enfim, não se sabe quem é o responsável pela irregularidade. Existe um Código de Postura do Município que, provavelmente, não é acionado, para que esses acontecimentos sejam evitados.  O comerciante, talvez por gozação, disse que o ancião veio depois com o neto para mostrar o lugar da queda que lhe provocou a ocorrência, fazendo   o mesmo percurso.  Escorregou e quebrou o outro braço. Verdade ou não, há de se tomar uma posição firme para que abusos dessa natureza sejam sanados.


Artigo Antônio Torres: Praça Dr. Pompílio leite ou Praça do Jurema

Artigo Antônio Torres: Praça Dr. Pompílio leite ou Praça do Jurema
Foto: Wilker Porto | Brumado Agora

Por Antônio Novais Torres

 

As raízes das árvores da Praça do Jurema como é popularmente conhecida a Praça Dr. Pompílio Leite, está com o piso comprometido, as calçadas e alicerces das casas danificados, trazendo transtornos para os moradores circunvizinhos. Abandonada carece urgentemente de providências para sanar esse descuido com uma praça que foi não só um cartão postal da cidade como é um ponto de referência municipal pela sua centralidade. Esse logradouro já foi o point da cidade, havia um grande afluxo de pessoas para este local central da urbe, que exercia fascinação à mocidade e se tornou o ponto de encontro desses jovens. Cabe ao poder administrativo municipal tomar as medidas cabíveis após fazer uma averiguação e estudos pertinentes nos órgãos ambientais, para uma reforma geral de embelezamento do ambiente. É um logradouro central e de grande importância no contexto social e político pela sua localização central, daí merecer atenção especial do poder público para a melhoria da qualidade urbana que proporcione conforto aos usuários.

Por Antônio Novais Torres

 

As raízes das árvores da Praça do Jurema como é popularmente conhecida a Praça Dr. Pompílio Leite, está com o piso comprometido, as calçadas e alicerces das casas danificados, trazendo transtornos para os moradores circunvizinhos. Abandonada carece urgentemente de providências para sanar esse descuido com uma praça que foi não só um cartão postal da cidade como é um ponto de referência municipal pela sua centralidade. Esse logradouro já foi o point da cidade, havia um grande afluxo de pessoas para este local central da urbe, que exercia fascinação à mocidade e se tornou o ponto de encontro desses jovens.

 

Cabe ao poder administrativo municipal tomar as medidas cabíveis após fazer uma averiguação e estudos pertinentes nos órgãos ambientais, para uma reforma geral de embelezamento do ambiente. É um logradouro central e de grande importância no contexto social e político pela sua localização central, daí merecer atenção especial do poder público para a melhoria da qualidade urbana que proporcione conforto aos usuários.

 

Essas árvores da praça, nativas, devem ser substituídas por outras apropriadas para arborização citadina com raízes tipo pivotante que não venham danificar as construções e redes de esgoto.

 

 Há de considerar-se não só o embelezamento do ambiente mas também o sombreamento adequado, aliviando-se o calor provocado pelo problema climático do aquecimento, bem como o lazer das pessoas que procuram um local ameno de paisagem alegre para os bate-papos descontraídos em lugar agradável, além de local de divertimento para as crianças que estão sentindo a falta desse espaço.

 

Como já se faz em outras cidades, tomemos o exemplo de Rio de Contas, para conservação e manutenção desse plantio de árvores há de se sensibilizar a população para os cuidados das mesmas contribuindo para a melhoria da qualidade do espaço e não ficarem esperando pela iniciativa do poder público.

 

 As praças desde que bem cuidadas são cartões postais da cidade, vejam o exemplo da fonte luminosa da praça cel. Zeca Leite que extasia o visitante pela sua beleza, assim devem ser tratadas as outras. A do Jurema é um caso especial e que deve ser ponto de honra da prefeitura em transformá-la e revitalizá-la para alegria dos moradores entorno da praça, enfim, dos brumadenses.

 

Espera-se que a Secretaria Municipal de Agricultura, Recursos Hídricos e Meio Ambiente, a Secretaria de Infraestrutura, Serviços Público e Desenvolvimento e a Secretaria de Administração, envidem esforços para o embelezamento da cidade cuidando das praças, que representam os cartões postais do lugar.

CONTINUE LENDO

Artigo: Secret - o aplicativo da discórdia

Artigo: Secret - o aplicativo da discórdia

Um dos aplicativos de celular febre entre os adolescentes é o “Secret”. Ele promete uma rede social onde qualquer um possa publicar um “segredo” de forma anônima ou, secreta, como o próprio nome sugere. O problema é quando pessoas mal intencionadas utilizam do anonimato para publicar ofensas a terceiros ou fatos inverídicos. Inúmeras pessoas já se queixaram de calúnias, injúrias e difamações propagadas contra si por terceiros que somente queriam denegri-las e se utilizaram do “Secret” para ficarem anônimas. Mas, esse anonimato não pode ser considerado absoluto. Pelas leis brasileiras, é livre o direito de expressão, vedado o anonimato, conforme explícito na própria Constituição Federal. Valendo-se dessa premissa, chovem ações contra a “Secret” e contra o “Google”, quem hospeda o aplicativo. Tais ações buscam a proibição da disponibilização do aplicativo, bem como que sejam informados os dados dos usuários que publicaram as ofensas. Isso porque pode ficar registrado pelo aplicativo, e consequentemente pelo Google, o número do telefone, e-mail e localização da pessoa que publicou algum comentário. Especialistas na área de informática dizem que qualquer acesso à internet deixa um “rastro digital”, portanto, é plenamente possível se localizar qualquer mensagem enviada. Assim, cuidado: pense duas vezes em comentar qualquer fato junto ao “Secret” apostando no anonimato, pois os seus dados podem ser descobertos judicialmente, com a consequente responsabilização civil (pagamento de indenização) e criminal.


Fifa registra uso da marca 'Pagode' e gera polêmica

Fifa registra uso da marca 'Pagode' e gera polêmica
Foto: Reprodução

Registrada no Instituto Nacional de Propriedade Industrial, o INPI, a marca "Pagode" é de uso exclusivo da Fifa até o fim de 2014. A informação foi publicada na quarta-feira (21) pelo jornal O Globo e deu início a uma reação acalorada no Twitter. Até mesmo o deputado estadual Marcelo Freixo, do PSOL, chegou a protestar. Ao Terra, o INPI confirmou que a palavra virou uso exclusivo da Fifa em função da Lei Geral da Copa, válida até 31 de dezembro deste ano. O registro realizado no instituto trata de Pagode como a fonte de impressão e fonte tipográfica, mas a legislação referente ao Mundial permitiu à entidade estender essa aplicação à marca. Isso é chamado de "registro de alto renome". "A Fifa pediu a marca Pagode para proteger uma fonte de impressão, como a Times New Roman ou a Arial", explicou Silvia Rodrigues de Freitas, diretora substituta de marcas do INPI, ao Terra. "A Lei Geral da Copa garante à Fifa que qualquer marca registrada é automaticamente reconhecida como alto renome, sem passar pelos critérios de reconhecimento que é um processo longo e complexo", acrescentou Silvia. Dessa maneira, até o fim de 2014, a Fifa tem a prerrogativa jurídica para vetar o uso da marca Pagode para qualquer um, conforme explica a diretora. "O problema referente a isso é que uma marca de alto renome tem proteção em todas as classes, para todos os produtos e serviços. Agora eles têm direito para a palavra sobre qualquer coisa", acrescentou.


Estresse causa mau hálito; entenda e evite

Estresse causa mau hálito; entenda e evite
Foto: Shutterstock

A correria do dia-a-dia nos leva constantemente a diversas situações de estresse. Pressões, cumprimento de horários, trânsito, tudo acaba gerando uma série de problemas para a saúde, inclusive mau hálito. O estresse causa uma redução da produção de saliva, pois a atividade das glândulas salivares depende, entre outros fatores, do equilíbrio do Sistema Nervoso Central, que fica instável em situações de nervosismo. “A salivação baixa aumenta a formação da saburra lingual, uma placa branco-amarelada que fica na língua e acumula bactérias e células mortas. Isso contribui para a produção de gases que provocam o mau hálito”, afirma Alênio Calil Mathias, vice-presidente da SOBREHALI (Sociedade Brasileira de Estudos da Halitose) e diretor do CETH (Centro de Excelência no Tratamento da Halitose). Para prevenir o mau hálito não basta ter uma higiene bucal impecável, é necessário adotar outros rituais. “É importante respeitar os intervalos de tempo entre as refeições, não ficar muito tempo sem beber água e mastigar bem e de forma correta os alimentos”, diz Alênio. Aliás, problemas com alimentação são um dos principais responsáveis pelo mau hálito causado pelo estresse. Pessoas que têm o problema costumam se alimentar com intervalos muito longos entre as refeições que deveriam ser de, no máximo, quatro horas. “Além disso, comem mais rápido e mastigam menos, diminuindo a salivação e abrindo condições para a aderência de microrganismos que causam a halitose”, afirma o especialista. Informações Terra.


Luiza Trajano, a inovadora do comércio varejista. O que podemos aprender com ela?

Luiza Trajano, a inovadora do comércio varejista. O que podemos aprender com ela?
Professor e escritor, natural de Brumado. (Foto: Wilker Porto | Brumado Agora)

Luiza Trajano formou em Direito no ano de 1972. Fez do comércio varejista a sua missão profissional. Entre as suas principais façanhas, a de maior repercussão foi a de transformar uma rede de lojas localizadas em Franca, interior de São Paulo, na terceira maior rede de lojas do país. Antes de chegar ao cargo máximo da empresa, desenvolveu habilidades e competências em vários setores da Empresa - cobrança, atendimento, vendas, gerência de lojas e recursos humanos - entre outros. Aos 12 anos de idade foi trabalhar ao lado da sua tia e mentora profissional, Luiza Trajano Donato, fundadora do Magazine, de quem recebeu lições sobre como cativar os clientes. “Aprendi com ela que o cliente é uma espécie de patrão”, afirmou Luiza à revista Exame.

Luiza Trajano formou em Direito no ano de 1972. Fez do comércio varejista a sua missão profissional. Entre as suas principais façanhas, a de maior repercussão foi a de transformar uma rede de lojas localizadas em Franca, interior de São Paulo, na terceira maior rede de lojas do país.

 

Antes de chegar ao cargo máximo da empresa, desenvolveu habilidades e competências em vários setores da Empresa - cobrança, atendimento, vendas, gerência de lojas e recursos humanos - entre outros.

 

Aos 12 anos de idade foi trabalhar ao lado da sua tia e mentora profissional, Luiza Trajano Donato, fundadora do Magazine, de quem recebeu lições sobre como cativar os clientes. “Aprendi com ela que o cliente é uma espécie de patrão”, afirmou Luiza à revista Exame.

 

Luiza Trajano é uma dessas pessoas que cativa pela forma direta e que transmite credibilidade. Tive a oportunidade de ouvi-la falar sobre a importância do atendimento ao cliente e do trabalho em equipe, quando atuei num grande banco estatal. Ao final do evento ela foi aplaudida de pé.

 

Em várias de suas entrevistas, sempre reitera alguns conceitos que parecem simples e que são difíceis de colocar em prática. Selecionei alguns para que juntos possamos refletir:

 

- "Existem três alicerces para a motivação de uma equipe -- coração, cabeça e bolso. Se um dos três faltar, o processo se rompe. Coração é a paixão pela empresa. Cabeça é poder participar, poder usar os próprios conhecimentos e ter a chance de adquirir novas competências. É a certeza de que seu trabalho trará desenvolvimento, o próprio e o da empresa. E bolso é o óbvio. O crescimento do negócio tem de ser acompanhado pelo crescimento de seus funcionários”.

 

- “Criatividade e temor não combinam. As pessoas que trabalham aqui não podem, por exemplo, ter medo de falar o que pensam. E elas só falarão se tiverem certeza de que os líderes estão preparados para ouvir coisas que muitas vezes vão incomodá-los. É complicado. Estamos acostumados a ouvir apenas aquilo que nos interessa. Só que nem sempre o que nos interessa é a verdade ou vai contribuir para o crescimento da empresa. Saber ouvir, portanto, não é favor nenhum. É uma questão de estratégia."

 

Estudos feitos pela Harvard Business School, uma dos mais prestigiados centros educacionais de negócios, relatou algumas das lições do Magazine Luiza:

 

1) Agilidade nas decisões. A rede sabe mudar rotas para aproveitar oportunidades. O Magazine Luiza  pensa e toma as decisões necessárias, por mais difíceis que sejam.

 

2) Liderança forte. Luiza Helena soube se impor como uma administradora firme e carismática.

 

Ao assumir o grupo, em 1991, Luiza Helena estabeleceu um estilo de gestão carismático e participativo, não apenas para os clientes, mas principalmente para os empregados.

 

3) Funcionários fiéis. A cultura da empresa estimula os empregados a perseguir resultados.

 

Para encontrar formas de encantar o consumidor, a cultura da empresa está assentada em fórmulas que estimulam os funcionários a conhecer cada vez melhor a freguesia. Eles têm autonomia para sugerir ofertas, fechar vendas, avaliar crédito e cobrar inadimplentes. O sistema de remuneração está atrelado não apenas às vendas individuais, mas aos negócios fechados pelas equipes de cada loja e à pontualidade no pagamento dos clientes.

 

4) Preservação da cultura. A empresa consegue manter seus valores, mesmo crescendo rapidamente.

 

"No Magazine Luiza, todo mundo fala uma mesma língua, da alta diretoria ao office-boy". Preservar a cultura empresarial é uma tarefa diária de Luiza Helena e de sua equipe. Sempre que pode, Luiza Helena comanda pessoalmente o encerramento de eventos de treinamento e de qualificação profissional em várias cidades do Brasil.

 

5) Ousadia e pioneirismo. A rede não tem medo de lançar novas práticas de vendas.

 

Inovar e antecipar as mudanças é um dos lemas da Empresa. Uma das ideias mais arrojadas foi a de implantar  lojas virtuais. Trata-se de uma rede em que os pontos-de-venda não têm um único produto em exposição -- todas as compras são feitas por computadores conectados à internet.

 

Magazine Luiza reconhece talentos, mas evita mimos. "Exigimos muito e sempre estou atenta para não mimá-los. Tenho muito medo de mimar", afirma Luiza Trajano.

 

Fonte: Revista Exame.

 

Por tudo isso e muito mais é que devemos conhecer as ideias de líderes com visão de futuro e inovadores. Desta forma podemos aprender lições que servirão para a nossa vida pessoal e profissional.

 

Se você é jovem e deseja conquistar o primeiro emprego, sugiro que inicie pelo comércio varejista. Ele é dinâmico e amplia a sua rede de relacionamentos. Além disso, pode custear os seus estudos, bem como lhe proporcionar conhecimentos úteis para o desenvolvimento de habilidades e competências essenciais: Atender, vender, negociar e comunicar. Vá em frente e sucesso!

 

* Professor e escritor, natural de Brumado (BA).  

CONTINUE LENDO

INFORME PUBLICITÁRIO

Fisioterapia Tito Almeida - Atendimento Especializado

Fisioterapia Tito Almeida - Atendimento Especializado

Tratando a Pubalgia Crônica!

 

Pubalgia é o quadro de dor e inflamação na região da sínfise púbica que é a junção entre os ossos do quadril (próximo a virilha), devido a inúmeros fatores como desequilíbrios musculares ocasionados por  movimentos incorretos no esporte principalmente nas regiões dos musculos abdominais , adutores e quadríceps, e movimentos de mudanças bruscas de direção que geram forças de cisalhamento e impactos excessivos na região, gerando incapacidade progressiva. O paciente refere dor abdominal baixa ou na região inguinal confundindo-se com uma distenção muscular, pode ser uni ou bilateral, piorando com atividade física e movimentos bruscos de corrida no esporte. Pode acometer mulheres gravidas, mas principalmente atletas de vários esportes que fazem arranques repentinos como no caso do futebol , tênis, basquete e outros. Pode ser confundida com uma simples dor muscular, hérnias na virilha, infecção urinaria ou até mesmo fraturas.

Fisioterapia Tito Almeida - Atendimento Especializado
Tito Almeida Fisioterapia

Tratando a Pubalgia Crônica!

 

 Pubalgia é o quadro de dor e inflamação na região da sínfise púbica que é a junção entre os ossos do quadril (próximo a virilha), devido a inúmeros fatores como desequilíbrios musculares ocasionados por  movimentos incorretos no esporte principalmente nas regiões dos musculos abdominais , adutores e quadríceps, e movimentos de mudanças bruscas de direção que geram forças de cisalhamento e impactos excessivos na região, gerando incapacidade progressiva.

 

O paciente refere dor abdominal baixa ou na região inguinal confundindo-se com uma distenção muscular, pode ser uni ou bilateral, piorando com atividade física e movimentos bruscos de corrida no esporte. Pode acometer mulheres gravidas, mas principalmente atletas de vários esportes que fazem arranques repentinos como no caso do futebol , tênis, basquete e outros. Pode ser confundida com uma simples dor muscular, hérnias na virilha, infecção urinaria ou até mesmo fraturas.

 

Em estágios mais avançados a dor pode ser sentida nas costas (lombalgia) e na bacia, o que torna difícil as atividades mais simples da vida diária. Outros sintomas são dor ao tossir e espirrar, dificuldade na contração do abdominal e diminuição da amplitude de movimento do quadril.  Por isso deve ser feito uma avaliação precisa dos pontos dolorosos na região inguinal, testes físicos específicos descartando outras patologias  que podem simular sintomas parecidos da pubalgia como lesões no quadril, e até mesmo fraturas leves. Exames de ressonância magnética também podem ajudar no diagnostico preciso da pubalgia cronica.

 

 Após o  diagnóstico de pubalgia, o paciente deve ser afastado do esporte, iniciando tratamento com repouso das atividades , uso de antiinflamatórios  e Fisioterapia intensiva, através de técnicas de TERAPIA MANUAL, alongamentos, crioterapia, massagens em musculaturas tensas, uso de bandages e exercícios de fortalecimento,  até que sejam corrigidas as causas e eliminados os sintomas dolorosos. Na maioria dos casos o tratamento clinico se mostra bem sucedido , porem em casos mais complicados é nescessario o procedimento cirúrgico para correção da inflamação.

CONTINUE LENDO

Artigo: Como lidar com as frustrações profissionais e pessoais

Artigo: Como lidar com as frustrações profissionais e pessoais
Carlos Prates professor e escritor, nascido em Brumado. (Foto: Wilker Porto | Brumado Agora)

Por Carlos Prates

 

No dicionário Aurélio, a palavra frustração significa “ação de frustrar. Na Psicanálise é o estado emocional do indivíduo que, por não ter satisfeito um desejo ou tendência fundamental, se sente recalcado”. Trazendo esse conceito para as ações cotidianas, notamos que a vida é feita de momentos e a nossa percepção, atitude e reação aos sentimentos, podem fazer toda a diferença. Vejamos o seguinte exemplo: Um jovem estudante planeja uma carreira profissional brilhante, de sucesso, reconhecimento pessoal e financeiro. Entretanto, quando inicia a procura do emprego, percebe que o mesmo está muito difícil, tendo em vista que as empresas exigem experiência, elevada escolaridade, idiomas, mestrado e doutorado, para em contrapartida pagar um salário irrisório.

Por Carlos Prates

 

No dicionário Aurélio, a palavra frustração significa “ação de frustrar. Na Psicanálise é o estado emocional do indivíduo que, por não ter satisfeito um desejo ou tendência fundamental, se sente recalcado”.

 

Trazendo esse conceito para as ações cotidianas, notamos que a vida é feita de momentos e a nossa percepção, atitude e reação aos sentimentos, podem fazer toda a diferença. Vejamos o seguinte exemplo:

 

Um jovem estudante planeja uma carreira profissional brilhante, de sucesso, reconhecimento pessoal e financeiro. Entretanto, quando inicia a procura do emprego, percebe que o mesmo está muito difícil, tendo em vista que as empresas exigem experiência, elevada escolaridade, idiomas, mestrado e doutorado, para em contrapartida pagar um salário irrisório.

 

Ter o sentimento de frustração é algo natural. Porém, o que vai mudar a realidade e o tamanho da frustração, será a maneira como esse profissional irá encarar as dificuldades e procurar vencê-las.

 

Há pessoas que são mais resilientes (característica mecânica que define a resistência aos choques de materiais), ou seja, têm a capacidade de suportar mais dores, frustrações e pressões.

 

Eu citei esse exemplo, por ser o que mais os leitores escrevem e reclamam, com toda razão, mencionando as suas dificuldades para ingressarem no mercado de trabalho.

 

O que podemos aprender com as frustrações?

 

Se deixarmos a emoção de lado e olharmos os nossos momentos cotidianos com mais racionalidade, vamos perceber que quase tudo se resume a atividades que não trazem muito prazer. Pegar ônibus, ir ao trabalho; trabalhar oito horas ou mais, pegar o ônibus de volta, chegar em casa, fazer as atividades domésticas; no final do mês, receber o salário e pagar as contas.

 

Basicamente é isso que fazemos na maioria do nosso tempo, quando não estamos dormindo. São atividades que ao longo da vida se tornam banais e entram no “piloto automático” do nosso cérebro.

 

A questão mais importante é saber como cada um de nós irá lidar com as frustrações. Elas não deixarão de existir, pelo contrário, a tendência é aumentar, pois temos o hábito de nos comparar com os bens materiais,  status e a felicidade que achamos que as demais pessoas possuem.

 

Raramente estamos satisfeitos com o que possuímos. Há um ditado popular que ilustra esta situação: “o jardim do vizinho é sempre mais florido”. Outro aspecto que complica mais ainda é que a cada desejo satisfeito, geralmente surge um novo! Lembra  daquele celular, tv, notebook e automóvel comprados a seis meses? Já não servem ou não nos emocionam mais, pois alguém comprou os mais modernos.

 

Gosto muito de uma palavra que a denomino de aprender “natoralmente”, ou seja, na tora, na raça. É claro que a leitura e ouvir os conselhos dos pais e familiares continuam sendo importantes. Porém,  as nossas mudanças internas tendem a ser mais eficazes quando sofremos algum tipo de frustração. Em muitos casos, a dor costuma ensinar mais do que o amor.

 

Somos pessoas complexas e oscilamos os nossos sentimentos com o decorrer dos anos e como os mesmos irão nos afetar positiva ou negativamente. Cada um tem a sua história de vida e as suas expectativas em relação ao que é viver feliz.

 

Não gostaria de dar um conselho, porém, lhe fazer um alerta, principalmente se você é jovem e está começando a vida profissional. Procure ter uma visão mais realista do mercado de trabalho e não crie grandes expectativas e ilusões. Lute e faça com que a cada dia você vá conquistando o seu espaço. Seja tolerante com os momentos de insucesso e tenha persistência e criatividade para traçar novas estratégias.

 

Planeje a sua carreira profissional e coloque a possibilidade de algum dia ser dono do seu próprio negócio. É claro que é muito difícil e nem todas as pessoas têm essa vocação ou desejo para empreender.

 

A tendência do mundo sinaliza para o aumento  do empreendedorismo. É claro que cada carreira profissional é única e depende de uma série de variáveis.

 

Finalizando, procure enxergar o lado positivo das frustrações, pois, como quase tudo na vida, a dinâmica costuma ser a da faca: “um lado alisa e o outro corta”. Tudo tem (ou deveria ter) o lado positivo e negativo.

 

A alegria é valorizada porque temos muitos momentos de tristezas e frustrações. Infelizmente, não podemos criar um mundo somente de momentos lindos e maravilhosos. Necessitamos nos fortalecer para lidar com as derrotas e decepções. A sua capacidade, resiliência e motivação para vencer os obstáculos farão toda a diferença em sua vida.

 

Vá em frente e sucesso!

CONTINUE LENDO

Artigo: Por que a língua portuguesa reprova tantos candidatos a empregos?

Artigo: Por que a língua portuguesa reprova tantos candidatos a empregos?

Vivemos no mundo da comunicação. Falar e escrever bem são fundamentais para todos os profissionais, das funções mais simples, até as mais complexas. Estes são alguns dos motivos para o elevado índice de reprovação dos candidatos: 1) Erros na escrita e nas concordâncias das palavras; 2) Dificuldade para produzir uma redação / texto, utilizando as palavras escritas, a exemplo de uma carta, e-mail ou memorando. Idem, idem, para a elaboração de um discurso simples, através da linguagem oral. Na origem dessas dificuldades está o pouco hábito de leitura, bem como  a complexidade do nosso idioma, cheio de regras e exceções. Aliado a tudo isso, os professores são pouco valorizados - financeira e moralmente - em nossa sociedade e junto aos seus alunos. Alguns desses educadores, infelizmente, ainda utilizam uma metodologia de ensino ineficaz, não conseguindo despertar o interesse de parte dos alunos, notadamente os mais jovens. Com o advento da internet,  a exigência do mercado de trabalho e também dos programas de acesso gratuito às Universidades – SISU e às Bolsas de Estudo - PROUNI, muitos jovens estão buscando aumentar os seus índices de leitura para escreverem de forma correta, com clareza e objetividade. Finalizando, saiba que somente você poderá favorecer a aprendizagem. Ter vontade e persistência para aprender e descobrir as riquezas das palavras do nosso lindo idioma é o primeiro passo a ser dado. Vá em frente e sucesso! Por Carlos Prates professor e escritor, natural de Brumado (BA).


Natal e Réveillon: cuidados especiais com as finanças pessoais

Natal e Réveillon: cuidados especiais com as finanças pessoais
Carlos Prates é brumadense, professor e escritor. (Foto: Wilker Porto | Brumado Agora)

Por Carlos Prates

 

 Em quase todas as compras que realizamos, o fator emocional está presente. Além disso, existe a sensação enganosa de que adquirimos o produto e “não” o pagamos de imediato. São emoções em dobro: consumir e não pagar. É claro que estou falando das compras com cartão de crédito. A realidade aparece quando a fatura chega!  Sempre, no período das festas de fim de ano os meios de comunicação usam e abusam da persuasão para influenciar a todos nós, consumidores, para comprarmos compulsivamente. Além das “propagandas” inseridas em reportagens, há aquelas tradicionais, que mostram famílias felizes e unidas, ao redor da mesa farta. Não sou contra o espírito natalino. O que eu não concordo é associar o Natal a dar e receber presentes. Devemos, sim, compartilhar amor, carinho e solidariedade, não somente nessa data, como nos demais momentos cotidianos. Caso contrário, fica uma situação forçada e sem credibilidade.

Por Carlos Prates

 

 Em quase todas as compras que realizamos, o fator emocional está presente. Além disso, existe a sensação enganosa de que adquirimos o produto e “não” o pagamos de imediato. São emoções em dobro: consumir e não pagar. É claro que estou falando das compras com cartão de crédito. A realidade aparece quando a fatura chega!

 

 Sempre, no período das festas de fim de ano os meios de comunicação usam e abusam da persuasão para influenciar a todos nós, consumidores, para comprarmos compulsivamente. Além das “propagandas” inseridas em reportagens, há aquelas tradicionais, que mostram famílias felizes e unidas, ao redor da mesa farta.

 

 Não sou contra o espírito natalino. O que eu não concordo é associar o Natal a dar e receber presentes. Devemos, sim, compartilhar amor, carinho e solidariedade, não somente nessa data, como nos demais momentos cotidianos. Caso contrário, fica uma situação forçada e sem credibilidade.

 

 Para que você possa avaliar melhor a sua situação financeira e equacionar os gastos, seguem algumas dicas. Fique atento e não se deixe levar somente pela emoção em suas compras. Use também a razão:

 

 √ Tenha no máximo um cartão de crédito e procure pagar a sua fatura integralmente. O saldo devedor do cartão é como uma bola de neve. Se deixar de pagar ou abater apenas o valor mínimo por mês, incidirão os juros e estes agirão como cupins, corroendo o seu dinheiro. Se não tomar cuidado, você acabará perdendo o controle financeiro;

 

 √ Evite tomar empréstimo para cobrir saldo devedor de cheque especial. Ao fazê-lo, solicite que o mesmo seja cancelado. Caso contrário, a tendência é você voltar a ficar devendo o cheque especial e o empréstimo que tomou;

 

 √  Não caia na tentação de emprestar o seu cartão de crédito para outras pessoas efetuarem compras.  Hoje está muito fácil obter um cartão de crédito e, quando alguém solicita que outro compre, pode ser um forte sinalizador de que está com problemas financeiros;

 

 √  Procure economizar 10% do seu salário mensal, para futuras despesas e situações inesperadas – doenças, aquisição de bens, pagamento de estudos, etc;

 

 √  Desenvolva ou aprimore o hábito de pechinchar e de negociar. Valorize cada centavo. Pesquise, pesquise e pesquise antes de comprar. Você já observou como as pessoas mais ricas gostam de pechinchar? Não tenha vergonha de fazer o mesmo;

 

 √  Se você está endividado, evite gastos com supérfluos e compre exclusivamente com dinheiro, evitando o uso do cartão de crédito. Normalmente, compramos mais do que desejamos, pois temos a falsa ilusão de que estamos adquirindo os produtos sem pagá-los. Quando chega a fatura mensal, o sonho vira pesadelo;

 

 √  Não comente a sua vida financeira com os outros. Ela deve ser reservada a você e às pessoas íntimas - marido, mulher, pais e filhos;

 

Se você é um consumidor compulsivo, procure ajuda psicológica e cancele todos os seus cartões de crédito e cheque especial. Compre somente à vista e com dinheiro. Pois é, meu amigo, organize a sua vida financeira o mais rapidamente possível. Em breve abordaremos outros temas importantes para a sua vida pessoal e profissional.

 

 Há um ditado popular que afirma: “Quem não controla os seus gastos, é controlado por eles.”  Administrar as finanças é uma atividade individual e também coletiva. Envolva os seus familiares nessa importante missão!

 

 Há momentos em que você necessitará ser um Tio Patinhas, notadamente nos casos de endividamento no cartão de crédito e cheque especial, onde são cobradas as maiores taxas de juros. Fique atento!

CONTINUE LENDO

Antônio Torres faz artigo sobre a violência em Brumado

Antônio Torres faz artigo sobre a violência em Brumado
Antônio Novais Torres. (Foto: Wilker Porto | Brumado Agora)

FIM DOS TEMPOS - Por Antônio Torres

 

 

 

A cidade vive traumatizada com tantos crimes praticados por elementos do mal. Eles também estão agindo na zona rural com tamanha crueldade que deixam a população apavorada e com indignação pelos atos perpetrados. As pessoas são agredidas, roubadas, furtadas, assassinadas vulgarmente com sadismo, pela ousadia dos marginais, infundindo nelas o medo e o terror. O crime hoje está tão banalizado que até mesmo pessoas que deveriam garantir a segurança e primar pela honradez debandam para o lado da delinquência. O crime ocorrido na zona rural, precisamente na Fazenda Riachão, divisa entre os municípios de Aracatu e Brumado, pelo ato cruel e bestial contra dois lavradores idosos, repugna e indigna a todos. Os elementos que praticaram essa atrocidade precisam responder criminalmente pelos seus atos de crueldade, impiedosamente perpetrados, que chocaram a população. Que dê a César o que é de César. Que se punam rigorosamente esses malfeitores, delinquentes, assassinos pelas sevícias e pelo crime praticado contra pessoas idosas, indefesas que não mereciam tamanha brutalidade.

FIM DOS TEMPOS - Por Antônio Torres

 

 

A cidade vive traumatizada com tantos crimes praticados por elementos do mal. Eles também estão agindo na zona rural com tamanha crueldade que deixam a população apavorada e com indignação pelos atos perpetrados. As pessoas são agredidas, roubadas, furtadas, assassinadas vulgarmente com sadismo, pela ousadia dos marginais, infundindo nelas o medo e o terror. O crime hoje está tão banalizado que até mesmo pessoas que deveriam garantir a segurança e primar pela honradez debandam para o lado da delinquência.

 

O crime ocorrido na zona rural, precisamente na Fazenda Riachão, divisa entre os municípios de Aracatu e Brumado, pelo ato cruel e bestial contra dois lavradores idosos, repugna e indigna a todos. Os elementos que praticaram essa atrocidade precisam responder criminalmente pelos seus atos de crueldade, impiedosamente perpetrados, que chocaram a população. Que dê a César o que é de César. Que se punam rigorosamente esses malfeitores, delinquentes, assassinos pelas sevícias e pelo crime praticado contra pessoas idosas, indefesas que não mereciam tamanha brutalidade.

 

Esses fatos tomam proporções assustadoras, os bandidos não respeitam mais a polícia nem a justiça, arrostam-nas sem nenhum acanhamento. Talvez pela impunidade e pela falta de reprimenda exemplar, agem cinicamente, seviciando e matando as pessoas como tem ocorrido.

 

Os facínoras recebem, nas prisões, drogas fornecidas por parceiros do crime, fogem das detenções e praticam novos crimes, embora saibam que a polícia está em seu encalço. Tanta violência é desencadeada pelos marginais que são estimulados pela impunidade e pela ineficiência da lei repressora que tende a acobertar os delinquentes ao invés de proteger o cidadão correto. Dessa forma, a agressão prolifera de maneira crescente e com aspecto assustador.

 

O governo alega não ter dinheiro para aparelhar as polícias e os presídios com as adequações necessárias. Delegacias superlotadas abrigam marginais que deveriam estar em prisões apropriadas. Complica mais a notícia de assaltos praticados por maus policiais, em quem se deposita confiança, a qual é traída pelas faltas cometidas – situação gravíssima – e, quando descobertos, são expulsos da corporação e ou punidos na forma da lei, causando mal-estar aos comandantes que têm de se justificar perante a sociedade. Esses elementos enveredam-se pelos descaminhos da marginalidade, dando mais trabalho à polícia, porquanto conhecedores do esquema comandam a quadrilha que formam.

 

O noticiário diariamente fala dos marginais de colarinho branco, desde deputados, senadores, ministros, políticos em geral, a empresários que aderiram à corrupção desenfreada, e a sociedade pede punição aos delinquentes que dão mau exemplo e, nem sempre, por questões políticas, são penalizados. Embora pressionados pelo envolvimento e pelo prestígio político, a lei não os atinge. Corruptos e corruptores agem indiscriminadamente. Esse péssimo exemplo tem contaminado aqueles que não têm compromisso com a verdade e praticam toda espécie de iniquidade.

 

“A violência está se tornando característica da atual sociedade... Crimes bárbaros são praticados no dia-a-dia e não chocam tanto a população, como acontecia no passado... E isso tem uma explicação: a família está se deteriorando, e os valores morais, deixando de existir... O jovem cresce sem regras, com o padrão de vida definido através de redes sociais...” (Jornaldomeiodia – Internet).

 

Não é admissível que o mal se sobreponha ao bem. Resistir ao mal, à perversidade é condição imprescindível, é a maneira mais eficaz de combatê-los. Obviamente que o tratamento concedido ao perverso não pode ser negligente, considerando seus atos ignóbeis, portanto ele não merece nenhuma condescendência, como os indultos e outros benefícios de ordem jurídica legal.

A verdade é que esses elementos do mal não se ressocializam. Acostumaram-se à prática da perversidade através dos delitos perpetrados, levando sofrimento, angústia e medo à sociedade. Portanto, não há de se falar em reintegração social desses indivíduos, o essencial é que eles fiquem afastados da sociedade, encarcerados, a cumprir pena integral pelo delito cometido.

CONTINUE LENDO

Artigo: AVC pode ser prevenido com hábitos saudáveis

Artigo: AVC pode ser prevenido com hábitos saudáveis
AVC pode ser prevenido com hábitos saudáveis, lembram especialistas.

Apontado como uma das principais causas de internação e morte no país, o acidente vascular cerebral (AVC) pode ser prevenido, em boa parte dos casos, com hábitos saudáveis no decorrer da vida, como a prática moderada de exercícios. No Dia Mundial de Combate ao AVC, lembrado hoje (29), especialistas alertam que a busca por atendimento médico de emergência logo após o aparecimento dos primeiros sintomas é fundamental. O atendimento rápido garante que a aplicação dos medicamentos ocorra antes de quatro horas e meia, período considerado chave para reduzir a mortalidade. De acordo com a Organização Mundial de AVC, a doença é responsável por 6 milhões de mortes a cada ano. Dados do Ministério da Saúde mostram que entre 2000 e 2010, a mortalidade por acidente vascular cerebral no país caiu 32% na faixa etária até 70 anos, que concentra as mortes evitáveis. Apesar disso, só em 2010, mais de 33 mil pessoas morreram em decorrência de AVC nessa faixa etária. Agência Brasil.

Apontado como uma das principais causas de internação e morte no país, o acidente vascular cerebral (AVC) pode ser prevenido, em boa parte dos casos, com hábitos saudáveis no decorrer da vida, como a prática moderada de exercícios. No Dia Mundial de Combate ao AVC, lembrado hoje (29), especialistas alertam que a busca por atendimento médico de emergência logo após o aparecimento dos primeiros sintomas é fundamental. O atendimento rápido garante que a aplicação dos medicamentos ocorra antes de quatro horas e meia, período considerado chave para reduzir a mortalidade.

 

De acordo com a Organização Mundial de AVC, a doença é responsável por 6 milhões de mortes a cada ano.Dados do Ministério da Saúde mostram que entre 2000 e 2010, a mortalidade por acidente vascular cerebral no país caiu 32% na faixa etária até 70 anos, que concentra as mortes evitáveis. Apesar disso, só em 2010, mais de 33 mil pessoas morreram em decorrência de AVC nessa faixa etária.

 

Membro da Sociedade Brasileira de Neurocirurgia e presidente da Sociedade de Neurocirurgia do Rio de Janeiro, o médico Eduardo Barreto acredita que o desconhecimento da população sobre os sintomas é uma dos maiores dificuldades no combate ao AVC.

 

"Um dos maiores problemas que percebemos é o desconhecimento dos sintomas, que servem como sinal de alerta e, se fossem identificados adequadamente, poderiam evitar verdadeiras catástrofes provocadas pelo AVC", disse ele, que citou como principais sintomas a fraqueza ou dormência súbita em um lado do corpo, dificuldade para falar, entender o interlocutor ou enxergar, tontura repentina e dor de cabeça muito forte sem motivo aparente.  "Assim que algum dessas situações for percebida, é preciso buscar imediatamente assistência médica de urgência", acrescentou.

 

O especialista ressaltou que quando o atendimento ocorre em tempo hábil é possível submeter o paciente a exames para determinar o tipo de AVC e a área do cérebro atingida e fazer os procedimentos necessários, como a injeção de medicamentos que dissolvem o coágulo. Ele enfatizou que, com isso, as possibilidades de recuperação são muito maiores. Barreto destacou que, sem o diagnóstico precoce, o AVC pode provocar, com mais frequência, o comprometimento irreversível do cérebro, causando perda da noção das relações - capacidade de o paciente identificar se uma pessoa é sua mãe, esposa ou filha, por exemplo - sequelas motoras, como paralisia de pernas e braços e perdas de linguagem. Ele acrescentou que os fatores que aumentam as chances de ocorrer um AVC são a hipertensão, o diabetes, fumo, álcool, a alta taxa de colesterol e o sedentarismo. A doença atinge principalmente idosos com mais de 60 anos de idade, porém há registros de ocorrências em jovens e recém-nascidos.

 

O AVC é causado pela interrupção brusca do fluxo sanguíneo em uma artéria cerebral provocada por um coágulo, denominado isquêmico, ou o rompimento de um vaso sanguíneo provocando sangramento no cérebro, chamado hemorrágico. O AVC isquêmico é o mais comum, representando mais de 80% dos casos da doença.

 

A Organização Mundial de AVC recomenda, para saber se uma pessoa está tendo a doença, primeiramente pedir que ela sorria e verificar se o sorriso está torto. Em seguida, observar se ela consegue levantar os dois braços. Outro passo é notar se há alguma diferença na fala, se está arrastada ou enrolada. Caso seja identificado algum desses sinais, deve-se procurar imediatamente um serviço de saúde.

CONTINUE LENDO

Artigo: Você sabe administrar o tempo?

Artigo: Você sabe administrar o tempo?
Carlos Prates é brumadense, professor e escritor. (Foto: Wilker Porto | Brumado Agora)

Por Carlos Prates

A utilização do tempo tem relação direta com os objetivos e metas de cada um, bem como as suas atividades pessoais e profissionais. Há vários estudos e teorias sobre o assunto, porém, a nossa maior dificuldade em administrar o tempo está relacionada com a procrastinação (ficar adiando o que não gosta de fazer e que é necessário) e a falta de planejamento. Vamos primeiro abordar a questão do planejamento. Sugerimos que você utilize uma agenda, objetivando facilitar a realização das atividades, classificando-as em três grupos:

Por Carlos Prates

A utilização do tempo tem relação direta com os objetivos e metas de cada um, bem como as suas atividades pessoais e profissionais. Há vários estudos e teorias sobre o assunto, porém, a nossa maior dificuldade em administrar o tempo está relacionada com a procrastinação (ficar adiando o que não gosta de fazer e que é necessário) e a falta de planejamento.

 

Vamos primeiro abordar a questão do planejamento. Sugerimos que você utilize uma agenda, objetivando facilitar a realização das atividades, classificando-as em três grupos:

 

1) Imprescindível – como o próprio nome indica, deve ser realizado com urgência.  Não pode ser adiado e nem esquecido, pois as conseqüências são grandes. A atividade deve estar localizada na sua agenda nas primeiras horas do dia.

 

2) Importante – é o que deve ser concretizado depois que você já tiver feito o que era imprescindível. Esta atividade é de média prioridade e o fato de não realizá-la antecipadamente não comprometerá os resultados. Chegará o momento em que será imprescindível. Caso você tenha horas ociosas, aproveite para iniciar ou concluir a atividade. Sempre que possível, deixe algumas horas vagas em sua agenda, pois atividades importantes podem se tornar imprescindíveis no mesmo dia.

 

3) Ocasional – são as atividades que você fará quando se tornarem importantes e depois imprescindíveis. A sua prioridade é baixíssima e as conseqüências de não utilizá-las são insignificantes. 

 

Em relação ao ato de adiar as atividades menos agradáveis e que necessitam ser realizadas, exigem disciplina e vontade. Sugerimos que você utilize o horário da manhã, pois normalmente estamos mais dispostos, para realizar as atividades que estão aguardando para serem concretizadas ou delegue para outra pessoa, se for o caso.

 

Por último, tenha muito  cuidado com os “desperdiçadores” de tempo. Eles podem funcionar com “válvula de escape”, para adiarmos o que precisa ser feito:

 

a)         Reuniões constantes e de longa duração;

 

b)         Ficar navegando na Internet ou falando demasiadamente ao telefone;

 

c)         Dificuldade para dizer “não” às pessoas que gostam de gastar o seu tempo, ocupando o tempo dos outros;

 

Se você reside ou trabalha em uma grande cidade, certamente enfrenta muitas horas de filas em bancos, supermercados, cartórios e longos engarrafamentos no trânsito. Quando não houver alternativa, aproveite para ler, ouvir música ou qualquer atividade prazerosa e que lhe seja produtiva.

CONTINUE LENDO

Recordar é Viver: Composição do Executivo e Legislativo de Brumado, período de 1948-1950

Recordar é Viver: Composição do Executivo e Legislativo de Brumado, período de 1948-1950
Antônio Novais Torres. (Foto: Wilker Porto | Brumado Agora)

Por Antônio Novais Torres 

“ TERMO DE INSTALAÇÃO DA VILA DE BOM JESUS DOS MEIRAS E POSSE DA CÂMARA DA VILLA” em 12-02-1878. Como segue:

“Aos doze dias do mês de fevereiro do ano de nascimento de Nosso Senhor Jesus Cristo de mil oitocentos e setenta e oito [1878] nesta Vila de Bom Jesus dos Meiras, Comarca de Caetité e Paço da Câmara Municipal, presentes o doutor Joaquim Manoel Rodrigues Lima, Presidente da Câmara Municipal de Caetité, para o fim de dar juramento e posse à nova Câmara, composta dos cidadãos Coronel Exupério Pinheiro Canguçu, Horácio Guanaes Simões, Sebastião da Silva Leite, Aureliano de José Pinheiro, José Germano Alves, Deolino de Souza Meira e Rodrigo de Souza Brito, o mesmo Presidente deu a respectiva posse e deferiu o juramento, que foi prestado pelos referidos vereadores em livro dos Santos Evangelhos. Depois do ato, presente número crescido de cidadãos do Município, o referido Presidente disse algumas palavras análogas que formam respondidas pelo Presidente da nova Câmara. Depois que o Presidente da Câmara de Caetité, depois do que o presidente da câmara de Caetité., depois de dar os vivas do estilo que foram calorosamente respondidos, houve a Vila por instalada. Eu Libério Jacundes Lôbo, secretário interino, lavrei o presente, que vai assinado pelo Presidente da Câmara de Caetité e pelo Presidente e Vereadores da Câmara da nova Vila de Bom Jesus dos Meiras. (ass.) Dr. Joaquim Manoel Rodrigues Lima, Presidente da Câmara Municipal de Caetité, Exupério Pinheiro Cangussú, Presidente da Câmara Municipal de Bom Jesus – Horácio Guanaes Simões, Sebastião da Silva Leite, Aureliano José Pinheiro, José Germano Alves, Deolino de Souza Meira e Rodrigo de Souza Brittro”. Com revisões e adaptações à nova nomenclatura ortográfica.

Por Antônio Novais Torres

“ TERMO DE INSTALAÇÃO DA VILA DE BOM JESUS DOS MEIRAS E POSSE DA CÂMARA DA VILLA” em 12-02-1878. Como segue:

“Aos doze dias do mês de fevereiro do ano de nascimento de Nosso Senhor Jesus Cristo de mil oitocentos e setenta e oito [1878] nesta Vila de Bom Jesus dos Meiras, Comarca de Caetité e Paço da Câmara Municipal, presentes o doutor Joaquim Manoel Rodrigues Lima, Presidente da Câmara Municipal de Caetité, para o fim de dar juramento e posse à nova Câmara, composta dos cidadãos Coronel Exupério Pinheiro Canguçu, Horácio Guanaes Simões, Sebastião da Silva Leite, Aureliano de José Pinheiro, José Germano Alves, Deolino de Souza Meira e Rodrigo de Souza Brito, o mesmo Presidente deu a respectiva posse e deferiu o juramento, que foi prestado pelos referidos vereadores em livro dos Santos Evangelhos. Depois do ato, presente número crescido de cidadãos do Município, o referido Presidente disse algumas palavras análogas que formam respondidas pelo Presidente da nova Câmara. Depois que o Presidente da Câmara de Caetité, depois do que o presidente da câmara de Caetité., depois de dar os vivas do estilo que foram calorosamente respondidos, houve a Vila por instalada. Eu Libério Jacundes Lôbo, secretário interino, lavrei o presente, que vai assinado pelo Presidente da Câmara de Caetité e pelo Presidente e Vereadores da Câmara da nova Vila de Bom Jesus dos Meiras. (ass.) Dr. Joaquim Manoel Rodrigues Lima, Presidente da Câmara Municipal de Caetité, Exupério Pinheiro Cangussú, Presidente da Câmara Municipal de Bom Jesus – Horácio Guanaes Simões, Sebastião da Silva Leite, Aureliano José Pinheiro, José Germano Alves, Deolino de Souza Meira e Rodrigo de Souza Brittro”. Com revisões e adaptações à nova nomenclatura ortográfica.

 

COMEMORAÇÃO DO CENTENÁRIO DA INSTALAÇÃO DA PRIMEIRA CÂMARA DE VEREADORES E A EMANCIPAÇÃO DO MUNICÍPIO.
 

11-02-1878 – 11-02-1978
 

Ao completar 100 anos da criação da primeira Câmara de Brumado em 11-02-1978, compareceram além dos vereadores, a Dra. Magna Maria Pereira Santos – Juíza, o representante do poder Executivo, senhor Agamenon Lima Santana, ex prefeito Juracy Pires Gomes e Miguel Lima Dias, ex vereadores, autoridades civis e militares, presentes. Após algumas palavras proferidas alusivas à comemoração, a oradora oficial, Dra. Magna Pereira Santos falou com propriedade sobre o centenário da Câmara, discorrendo sobre o assunto em pauta.
 

PREFEITOS E VEREADORES:
 

Prefeito eleito em 21/12/1947. Titular: Armindo dos Santos Azevedo (nessa época não havia vice-prefeito) e a posse foi realizado em 20/01/1948.

 

Primeiro prefeito eleito de Brumado escolhido democraticamente pelo voto popular no pleito de 21/12/1947. O Senhor Armindo dos Santos Azevedo foi indicação do Intendente e chefe político Marcolino Rizério de Carvalho.

 

PERÍODO DE GOVERNO: entre 1948-1950

 

POSSE DOS VEREADORES TITULARES REALIZADA EM 13 DE JANEIRO DE 1948.

 

01)  ABÍLIO DA SILVEIRA MAIA;

02)  Euvaldo do Santos Azevedo;

03)   Gerson dos Santos Azevedo;

04)   Hermes de Alves Teixeira;

05)  José Borges Sampaio;

06)  Job Pereira Santos; afastado por motivo de saúde, comunicação por ofício em 07/10/1950.

07)  Libério Alves Maia;

08)  08) Manoel Joaquim de Carvalho;

09)  Miguel Dias;

10)       Nilton Lima Vasconcelos; renunciou o cargo de vereador, por motivo de mudança para Guanambi, onde irá residir e assumir o cargo de Escrivão do Cartório Estadual. Renunciou e foi oi substituído pelo suplente mais votado Hélio Cotrim Leite.

11)  Brumado em, 7 de abril, de 1950.

12)  Virgílio da Costa Ataíde;

13)  Wenceslau Rizério de Carvalho.

 

COMPOSIÇÃO DA MESA DIRETORA DA CÂMARA MUNICIPAL EM 13/01/1948.

 

PRIMEIRO PERÍODO 1948-1949.

Presidente: Wenceslau Rizério de Carvalho;

Vice-presidente: José Borges Sampaio;

Primeiro secretário: Nilton Lima Vasconcelos;

Segundo secretário: Miguel Dias.

SEGUNDO PERÍODO: 1950

Presidente: Wenceslau Rizério de Carvalho;

Vice-presidente: José Borges Sampaio;

Primeiro secretário: Hélio Cotrim Leite;

Segundo secretário: Miguel Dias.

Juiz Eleitoral da 58ª zona eleitoral de Brumado, Dr. Duarte Moniz Barreto de Aragão.

 

Assinaram a ata de posse do prefeito Armindo dos Santos Azevedo em 20/01/1948, os seguintes: Wenceslau Rizério de Carvalho, pres. Da Câmara Municipal, Duarte Moniz Barreto Aragão – juiz Eleitoral da 58ª zona, José Borges Sampaio – vice-presidente da mesa diretora, Nilton Lima Vasconcelos – 1º secretário da mesa diretora, Miguel Dias - 2º secretário da mesa diretora, Virgílio da Costa Ataíde, Euvaldo dos Santos Azevedo, Gerson dos Santos Azevedo, Abílio Silveira Maia, Hermes Alves Teixeira, Manoel Joaquim Santos Carvalho, Armindo dos Santos Azevedo – prefeito eleito, Antonio Rizério Leite, Padre Antonio Fagundes, Dr. Mário Meira, José Joaquim da Silva Leite, Dr. Newton de Castro, Hélio Cotrim Leite, Targino Barroso, Délio Gondim Meira, Leonel Rosendo da Silva, Florindo Nascimento, Constâncio Mascarenhas, Osvaldo Cotrim Leite, Antenor Publio Castro, Olei Jarnefett, Paulo Chaves, Agnelo dos Santos Azevedo, José Olímpio Neves, Afonso Augusto Costa, Plauto Meira, Nefetali Matos Bitencourt, José Walter Leite, Gerôncio dos Santos Azevedo, Erico Dias Lima, Edmir Edvar Lôbo, Antonio Olímpio de Souza, Hermes Santos, Arthur Revenster Costa, João José Nascimento, Guilherme Rizério Leite, Milton Alves Diniz, Leodegário Feliciano Alves e Isaias de Carvalho.

CONTINUE LENDO

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Saiba Mais