BIOGRAFIA: OFLÁVIO DA SILVEIRA TORRES

BIOGRAFIA: OFLÁVIO DA SILVEIRA TORRES Oflávio da Silveira Torres - Faleceu em 17 de julho de 1989

Biografia de Oflávio da Silveira Torres / Por Antonio Novais Torres
 

Permitam-me traçar um rápido perfil da vida e das atividades de Oflávio da Silveira Torres, um pequeno homem em sua estatura física, porém de grandes ideias e iniciativas empreendedoras. 
 

Ainda adolescente foi para Contendas do Sincorá, distrito de“Ituassú”, hoje com nova nomenclatura Ituaçu, trabalhar na empresa comercial – Loja Neves – J. O. Neves & Cia - do senhor José Olímpio Neves onde fora admitido em 28 de fevereiro de 1938 com salário de CR$100.000,00 cruzeiros mensais de onde saiu para montar um comércio próprio no ramo de panificação. 
 

Em 1941 é admitido como funcionário até 1945 e, a partir de então, como representante comercial autônomo da Singer Sewing Machine Company.  Seguindo a sua intuição de comerciante empreendedor acompanha os trilhos da RFFSA se instalando em Umburanas, distrito de Brumado, após ter adquirido a firma de consignações Antenor Castro & Cia, (1945) de propriedade de Antenor Castro, com sede em Contendas do Sincorá e abrangência em várias cidades do sertão.

Permitam-me traçar um rápido perfil da vida e das atividades de Oflávio da Silveira Torres, um pequeno homem em sua estatura física, porém de grandes ideias e iniciativas empreendedoras. 

Ainda adolescente foi para Contendas do Sincorá, distrito de“Ituassú”, hoje com nova nomenclatura Ituaçu, trabalhar na empresa comercial – Loja Neves – J. O. Neves & Cia - do senhor José Olímpio Neves onde fora admitido em 28 de fevereiro de 1938 com salário deCR$100.000,00 cruzeiros mensais de onde saiu para montar um comércio próprio no ramo de panificação. 
 

Em 1941 é admitido como funcionário até 1945 e, a partir de então, como representante comercial autônomo da Singer Sewing Machine Company.  Seguindo a sua intuição de comerciante empreendedor acompanha os trilhos da RFFSA se instalando em Umburanas, distrito de Brumado, após ter adquirido a firma de consignações Antenor Castro & Cia, (1945) de propriedade de Antenor Castro, com sede em Contendas do Sincorá e abrangência em várias cidades do sertão. 
 

Em Umburanas é contratado para construir o campo de aviação que servia a empresa construtora da estrada de ferro e a própria RFFSA, empreitada que executa para atendimento da urgência, inclusive no período noturno,com iluminação de lâmpada petromax. 
 

Posteriormente, veio para Brumado onde se fixou até o seu falecimento em 17 de julho de 1989. Aqui, nos idos de 1945, compra uma gleba de terra e benfeitorias de Dr. Mário Meira e, em sociedade com o irmão Waldemar Torres, constitui a firma Oflavio Silveira Torres & Cia com o ramo de armazém (açúcar, sal, querosene etc.), consignações e representações bancárias e comerciais a exemplo da Texaco com venda de gasolina equerosene. Nessa empresa trabalharam 18 funcionários de carteira, dentre eles Erico Dias Lima, que também participou como sócio minoritário, e João Caíres Soares, contadores da firma. 
 

Em seguida funda as empresas: Armarinho Nossa Senhora do Rosário em 1957, localizada na Praça Capitão Francisco de Souza Meira com o ramo de armarinhos, perfumarias e afins (varejo e atacado); Sorveteria Iris;localizada na estação da RFFSA;Cine Cairú, localizado na Rua cel. Tibério Meira; Serviço de Alto-Falante PRVB – A voz de Brumado,anexo ao cinema, onde trabalhou diversos locutores, inclusive José Maria Viana Machado; Depósito dos produtos Fratelli Vita,Revenda da Brahma e bebidas em geral; Loja de Móveis,situada na Rua cel. Tibério Meira. 
 

Aposentou-se em 1978 e compra a Fazenda Várzea do Mocó e Rocinha Barreirinho no distrito de Cristalândia em Brumado e investe na agropecuária, atuando, também, como intermediário na compra e vendade algodão e mamona para as indústrias e empresas locaisdo ramo. Em continuação muda-se para Olhos d’água do Meio – também conhecida por Laje e montaum armazém comcomércio de produtos diversificados. 
 

Descendente de uma família de vocacionados para o comércio e a agropecuária, OST, mais conhecido por Flavinho, chegou a Brumado, lá pelos idos de 1945, juntamente com os trilhos da estrada de ferro, prenunciadores de progresso, condizentes com as suas aspirações de um futurista que acreditou nas potencialidadesdesta terra adotando-a como sua. Aqui, desenvolveu atividades múltiplas: comerciais,agropecuárias, sociopolíticas e culturais. 
 

Irrequieto, versátil, progressista e futurista, empreendeu iniciativas inéditas e pioneiras em Brumado: Instalou a primeira sorveteria brumadense, com instalações e tecnologia das mais modernas da época, dispondo de um grupo gerador de energia elétrica próprio que também servia a suas outras atividades empresariais e de iluminação residencial, inclusive favorecendo a alguns amigos. 
 

Criou o serviço de alto-falante com o prefixo PRVB - Publicidade Radiofônica A Voz deBrumado, que dispunha de vários programas culturais, recreativos, esportivos, políticos e informativos além de utilidade pública, onde se criticava, reivindicava e cobrava dos políticos locais, as necessidades básicas e prioritárias do município. Apresentou através do programa jornalístico radiofônico "A Folha de Urtiga",produzido, redigido com a participação de Ludgero França Ribeiro (Pequitito), pessoa de grande inteligência e vasta cultura, que o assessorava. 
 

 Muitas vezes, foram incompreendidos em suas colocações,sendo até ameaçados pelo seu trabalho que incomodava alguns poderosos descontentes. Daí entender-se econsiderar-se comoprecursor dos programas atuais do gênero. 
 

Entendeu-se com o ministro da Educação da época e trouxe para Brumado um programa cultural radiofônico que mereceu do Monsenhor Antônio Fagundes, pároco local, o comentário: Como pode Flavinho, homem de pouca cultura, fazer um programa desse nível?
 

 Fundou,juntamente com amigos, o PR – Partido Republicano, com o intuito de eleger o Marechal Lott, candidato a presidência da República.Agia sempre nos bastidores, cujo compromisso era o progresso e o desenvolvimento do município. Incentivava e promovia a cultura, esporte e lazer.Inaugurou o Cine Cairu, um dos mais modernos em equipamentos e instalações, com amplo palco que serviu para programas de auditório e variedades culturaisapresentandovários artistas de fama nacional e internacional, a exemplo de Zé Trindade e outros, com a participação marcante do operador de máquinas cinematográficas, locutore apresentador José Maria Viana Machado. 
 

Instituiu a empresa comercialTorres & Sobrinho em 1957, participando do empreendimento: Djalma Torres, Enelzita Tores e Thelma Torres, com o nome fantasia de Armarinho Nossa Senhora do Rosário que vendia uma gama variada de produtos do ramo no varejo e atacado, inclusive importados (brinquedos a pilha, etc.). A decoração natalina do armarinho, única casa comercial na cidadea fazer, empolgava a todos pela beleza e criatividade. Ao final do expediente das festas natalinas e da Missa do Galo,(naquela época à meia noite) distribuía alguns presentesàs crianças pobres que esperavam ansiosas por este momento de praxe anual. 
 

Foi também correspondente de vários bancos e casas comerciaisda Bahia, São Paulo, Rio de Janeirocomas quais atuava como intermediário. Atravésda empresade consignações OST & CIA, despachava mercadorias para todo o sertão por intermédio de tropeiros e seus animais, caracterizando-se assim o pioneirismo no ramo de transporte de cargas. 
 

Incansável e trabalhador, impulsionado pela sua visão mercantil, foi representante das máquinas Singer, distribuidor dos refrigerantes daFratelli Vita; distribuidor dos produtos daTexaco; revendedor da Brahma e bebidas. Foi agente do IAPETEC – Instituto de Aposentadoria e Pensões dos Empregados em Transportes e Cargas até 1966, órgão que lhe prestou elogios pelos serviços executados com zelo, dedicação e correção, quando houve a fusão de todos os Institutos de Aposentadoria e Pensões existentes à época e criou-se o INPS – Instituto Nacional de Previdência Social. Foi ainda distribuidor da revista O Cruzeiro e do jornal A Tarde, dos quais foi leitor assíduo e correspondente do jornal. 
 

Após aposentar-se das atividades comerciais que exerceu por mais de quarenta anos, não se conformando com a inércia e a apatiainiciou uma nova e produtivaocupação a de agropecuarista no distrito de Cristalândia, mais precisamente na fazenda Rocinha/Barreirinho, onde desenvolveu criatório de gado vacum e outros animais de pequeno porte; cultivo de algodão; milho; feijão etc., e agindo como corretor na compra e venda de algodão e mamona, trabalhando prazerosamente até o seu desenlace.
 

Na área social e cultural, não menos ativo, participouda fundação da União Operária e Recreativa, da Loja Maçônica Aliança Sertaneja com a participação do viajante Nacim Fauaze, homem inteligente, o qual se candidatou a deputado estadual e teve o apoio do amigo Flavainho;Sociedade Centro Espírita Albertino Marques Barreto;Cooperativa Agropecuária Brumadense. Incentivouos empreendimentos e participou de suas gestões e iniciativas. Promoveu através do serviço radiofônico e no palco do Cine Cairú, novelas, programas educativos; de calouros; peças de teatro com a participação de pessoas da comunidade.Apesar de homem de poucas letras, como costumava intitular-se, era amante e admirador da cultura e das artes, sendo um grande incentivador e patrocinador de todas as modalidades culturais da cidade. 

Desportista,ajudou a fundar e dirigiu a AssociaçãoAtlética Portuguesa tendomuitos títulos e muitas glórias.Ao lado dos companheiros e amigos Juca Rizério, Geonísio Viana, Olavo da Silva Leite e outros. Ao lado de Mário Trindade do Real Atlético de Futebol-RAF e Wilson Gonçalves incentivaram o desporto em Brumado, lutando pela sua divulgação e manutenção, muitas vezes arcando as suas expensas despesas com jogadores daqui e ostrazidos de outras cidades. 

Religioso, participava de todos os eventos da Igreja católica, inclusive promovendo missas e novenas na zona rural. Devoto de Nossa Senhora do Rosário, professava a sua fé de católico convicto. Era sua intenção construir uma capela na fazenda, para tanto, trouxera de São Paulo imagem de Nosso Senhor, mandara fazer uma cruz de madeira nobre e comprara um sino de bronze, cujo desejo não se realizou devido ao seu falecimento.

 A família, acatando a decisão de Ophélia Torres (filha),fezdoação à Igreja de Santa Rita por intermédio da Irmã Sagrada.

Oflávio Doou também uma imagem de São Cristóvão para a capela do Santo que a nomeia, localizada no Bairro Nobre, como uma homenagem aos caminhoneiros, vez que foi agente arrecadador do IAPETEC - Instituto de Aposentadoria e Pensões dos Empregados emTransportes e Cargas. 
       
Comissões, consignações e conta própria; Recepção e expedição de volumes para o centro e vice-versa. Compram-se e vendem todos os gêneros do país. Casa intermediária, Depósito da Stand Oil Co. of Brasil. Transportes próprios e caminhões.

 

Oflávio S. Torres & Cia – Correspondente do Banco do Povo, Banco do Comércio da Bahia; Banco do Distrito Federal; Casa Bancária Popular; Banco Econômico da Bahia S.A.; Banco Mercantil Sergipense S.A.;MachineCottons Ltda. S.A.; Magalhães Comércio e Indústria e várias casas comerciais da Bahia, São Paulo e Rio.

 

Festivo, realizou grandes festas carnavalescas com carros alegóricos, concursos de misses e rainhas, desfiles e blocos, quase sempre custeados com recursos próprios.

 

Solidário, nas suas idase vindas da fazenda, nunca cobrou passagem de ninguém, muitos deles vinham para tratamento de saúde. Na condição de pobres e necessitados, custeava-lhes consulta e pagava osremédios. Indulgente, distribuía pequenas feiras e dava remédios a pessoas idosas do seu relacionamento e convívio da zona rural que não conseguiram se aposentar, sem alardear e se promover.Fato que a família tomou conhecimento após sua morte pelos próprios beneficiários que choraram a sua perda, portanto um altruísta.

 

Participativo, promoveu, compondo com a iniciativa da comunidade, a construção da Fundação Hospitalar de Brumado, o HospitalMunicipal,colaborando comações e meios de arrecadação de fundos para o Hospitalcujo patrimônio posteriormente foi transferido para o Estado pelo poder municipal – atual Hospital Regional Professor Magalhães Netoem homenagem ao secretário de Saúde da época.


Vale ressaltar que recebeu, in memoriam, homenagem do vereador Aroldo Miranda Meira, que fez proposição nomeando o protagonista com um logradouro da cidadee teve apoio unânime de seus pares.

 

Assim viveu Oflávio da Silveira Torres, figura polêmica com uma vida familiar atribulada e irregular, por conta das circunstâncias que viveu. Enfrentou a sociedade, assumiu tudo que fez sem nada ocultar, às claras, portanto não nos cabe julgá-lo. Suas atitudes e seu comportamento não nos envergonham. Amparou a todos conforme seu entendimento e posses. Orgulha-nos, pois, o destemorda sua liberalidade arrostando a sociedade crítica e preconceituosa.

 

Este é o retrato e o perfil de OST, condeubense que nascido sob o signo de Áries, enfrentou os desgastes e desequilíbrios que a vida e a conduta social lhe impuseram. Imprimindo objetividade, autenticidade, impetuosidade e dedicação a todas suas ações e realizações com clareza e objetividade.

 

Concluindo, meus senhores e minhas senhoras, destarte, OST participou ativamente de todas as iniciativas de progresso, de desenvolvimento político, econômico, social, cultural e lazer desta cidade, legado da sua personalidade. Parafraseava o slogan paulista do Governo Ademar de Barros:"Brumado não pode parar" edizia: é preciso trabalhar no rumo em que seu povo deseja - o progresso e o desenvolvimento.

 

Em assim sendo, esta homenagem, achamo-la necessariamente justa, não só pelos serviços prestados, quanto pelo interesse e amor que devotou a esta cidade, à sua comunidade, a seu povo, à sua gente, enfim à terra de que tanto se orgulhou, adotando-acomo a sua terra natal. Faleceu em 17 de julho de 1989, e seus ideais continuam vivos na memória de seus descendentes como o exemplo do trabalho, da perspicácia, da perseverança na busca dos objetivos para a construção do porvir idealizado para os pósteros.

 

Antonio Novais Torres

Estádio dos Prazeres

Entrega da Taça Oflávio da Silveira Torres

Brumado em 14.11.1993

Palestra Proferida naALAB - Academia de Letras e Arte de Brumado (com adaptações)

Brumado em 28 de outubro de 2005.

Homenagem prestada por Antonio Novais Torres ao seu patrono (pai) Oflávio da Silveira Torres.