Caetité: indústria de água mineral poderá iniciar atividade no mês de maio

Caetité: indústria de água mineral poderá iniciar atividade no mês de maio Foto - Wilker Porto / Agora Sudoeste

Uma indústria de água mineral será inaugurada em Caetité e a expectativa é que gere cerca de 50 empregos diretos. Em entrevista ao site Sudoeste Bahia, o proprietário do manancial, empresário Jurandir Barbosa, conhecido como “Indiano de Brejinho”, declarou que ao descobrir em suas terras um grande manancial de água mineral - vazão de 82 mil litros de água/hora - resolveu investir no segmento. A indústria de produção, momeada "Inajá", possui um espaço construído de quase 6 mil metros, seis decks para embarque e desembarque de caminhões, área de envase fechado, refeitório, estacionamento, vestiários, laboratório de análise, depósito, área verde e escritórios. A parte física já está pronta e a previsão de inauguração é para maio deste ano. Foram investidos quase R$ 12 milhões na indústria, que tem capacidade de envase de 1.700 galões de 20 litros por hora; a linha de descartável, que compreende garrafas de 500 mililitros, 1,5 litros e copos, serão produzidos cerca de cinco mil unidades por hora. A qualidade da água foi certificada pelo Instituto Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), que, inclusive, já emitiu as devidas licenças. O processo é totalmente automatizado, sem nenhuma intervenção humana. A tubulação que conduz a água do manancial para a fábrica é em inox sanitário 304 PIPE (polido internamente – polido externamente), o que garante a qualidade da água levada até ao local de envase. “Nossa pretensão é oferecer água de qualidade para as distribuidoras para que elas não precisem se deslocar para Salvador, como muitas distribuidoras fazem. Hoje, o que mais pesa é o frete, que infelizmente é colocado no preço final do produto vendido ao consumidor. Só de não precisar se deslocar até Salvador para comprar água mineral, a distribuidora irá ter um menor custo, o que irá baratear o produto”, disse o empresário em entrevista ao Sudoeste Bahia.