Aumento do número de casos de coronavírus fora da China abala mercados globais; Ouro salta para maior valor em 7 anos e preços do petróleo caem 4%

Aumento do número de casos de coronavírus fora da China abala mercados globais; Ouro salta para maior valor em 7 anos e preços do petróleo caem 4% Foto - Divulgação / Josué Damacena (IOC/Fiocruz)

Um aumento no número de casos de coronavírus fora da China abala as bolsas da Europa nesta segunda-feira (24), com os investidores temendo que o surto possa afetar significativamente o crescimento global.  Em Milão, o índice FTSE/MIB tinha queda de mais de 4%, após a Itália informar que ao menos 190 pessoas foram diagnosticadas com o vírus, e cinco morreram. De acordo com informações do G1, nas bolsas de Londres, Frankfurt e Madri, a queda superava 3%. Segundo a agência Reuters, os mercados de ações europeus sofrem nesta segunda-feira a maior queda diária desde meados de 2016. Entre os piores desempenhos no índice pan-europeu STOXX 600 estavam ações de aéreas, com EasyJet, Ryanair, Air France e Lufthansa recuando entre 7% e 11%. O índice de viagens e lazer da Europa caía acima de 4%. Na China, o índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, caiu 0,4%, enquanto o índice de Xangai teve queda de 0,28%. Já as bolsas de Hong Kong e de Seul perderam 1,49% e 3,87%, respectivamente. Em Sydney, o índice S&P/ASX 200 recuou 2,25%. O declínio das ações também acontece após reunião de ministros das finanças e chefes de bancos centrais das 20 maiores economias industriais, no qual as autoridades advertiram que o surto que começou na China está ameaçando descarrilar o crescimento mundial. No Brasil, o mercado de ações e os bancos estão de folga devido ao carnaval e só reabrem na quarta-feira (26). A busca por ativos considerados mais seguros também fez saltar o preço do ouro em mais de 2%, para US$ 1.684,60, maior valor em 7 anos. Os preços do barril de petróleo recuavam mais de 4%. O Brent tinha queda de 4,14%, sendo negociado a US$ 56,08. Já o barril WTI recuava 4,01%, a US$ 51,24.