Carnaval de Rio de Contas: organizadores das casas emitem nota pública solicitando permissão para som automotivo e ambiente

Carnaval de Rio de Contas: organizadores das casas emitem nota pública solicitando permissão para som automotivo e ambiente Foto - Wilker Porto / Agora Sudoeste

Os organizadores das casas que funcionam durante o Carnaval do município de Rio de Conta emitiram nota pública solicitando permissão para som automotivo e ambiente durante a festa momesca. Na nota enviada ao Agora Sudoeste, eles ressaltam que ”tendo em vista os últimos acontecimentos relacionais ao carnaval da cidade de Rio de Contas, nós organizadores das casas, resolvemos nos unir para buscar e propor soluções quanto a utilização de som automotivo e som ambiente durante os cincos dias de carnaval. Acreditamos que somos peça fundamental nesta discussão, pois com a realização das casas, trazemos grande quantidade de pessoas para o festejo, além de alugarmos propriedades no centro da cidade a preços que ajudam grande parte da população a se manter durante todo o ano, bem como geramos outras receitas em Rio de Contas. É fato notório que as arrecadações do ano de 2019, caíram drasticamente em relação ao ano de 2018, tal fato sendo facilmente explicado por imposições postas contra os turistas que no período carnavalesco escolhem a cidade de Rio de Contas com destino. Para o ano de 2020 o panorama não é diferente, tendo em vista que menos de 50% das casas que tradicionalmente se fazem presente todos os anos confirmaram presença no carnaval, e as que confirmaram temem não conseguir honrar os compromissos firmados com os donos das casas que foram alugadas, distribuidoras de bebidas entre outros. Concordamos ainda, que não cabe mais em Rio de Contas a grande quantidade de poluição sonora dos últimos carnavais, de modo também que a festa sem som ambiente e som automotivo, como já foi relatado, é um risco a todos que tem na festa carnavalesca a oportunidade de tirar seu sustento. Neste momento, aproveitamos ainda para deixar nossa sugestão, que fosse possível a utilização de somente dois carros automotivos, estes devidamente registrados, cadastrados diante dos órgãos competentes, respeitando os limites de horário e que ficassem localizados em pontos estratégicos da cidade. Um nas imediações do palco onde é realizado a festa (frente ou fundo do palco) e outro nas imediações do Largo do Rosário, ponto já tradicional de encontro entre foliões durante as tardes de carnaval”.