Brumado: vereadora Ilka Abreu justifica voto contra projeto do Executivo sobre nomeação de diretores escolares

Brumado: vereadora Ilka Abreu justifica voto contra projeto do Executivo sobre nomeação de diretores escolares Foto - Wilker Porto / Agora Sudoeste

Nesta sexta-feira (23), foi votado na Câmara de Vereadores de Brumado o Projeto de Lei que visa nova redação e revogar o dispositivo da Lei Municipal 1.780, de 22 de setembro de 2016 – Plano de cargos, carreira e remuneração dos profissionais do magistério do município de Brumado. Em seu depoimento, a vereadora Ilka Abreu, que votou contra ao projeto, "o intuito da alteração legislativa é retirar dos profissionais do magistério, funcionários e pais dos alunos o direito de eleger os diretores e vice-diretores das escolas municipais.  Com tal projeto não posso concordar, pois só quem vivencia o dia-a-dia nas escolas municipais é quem pode eleger o melhor representante para assumir o cargo de direção e vice da escola.O prefeito municipal, por mais participativo que é, não tem o condão de conhecer as minuciosidades de cada escola. Somente quem detém essa incumbência é quem ali trabalha todos os dias. Retirar o poder de eleição dos profissionais do magistério e entregar nas mãos do Gestor municipal seria o mesmo que o Governador da Bahia, lá da capital do Estado e sem conhecer as dificuldades enfrentadas pelos brumadenses, podesse indicar quem seria o prefeito do nosso município. Ademias, são os professores e demais funcionários que convivem com os alunos, conhecendo-os em sua inteireza, realidade e os pais, pois dedicam-se diuturnamente em transmitir o melhor ensino para cada um deles, que tem por direito escolher os diretores e vices de cada escola municipal. Portanto, meu voto é contra o projeto de lei, por entender que somente os próprios professores, funcionários e os pais dos alunos são quem podem escolher o diretor, vice-diretor e coordenador das escolas municipais, tendo em vista que estão em constante convivência", declarou a vereadora.