Brumado: prefeito Eduardo Vasconcelos avalia estragos causados pela chuva

Brumado: prefeito Eduardo Vasconcelos avalia estragos causados pela chuva Foto: Wilker Porto | Agora Sudoeste

Choveu com muita intensidade na noite de terça-feira (12) e madrugada desta quarta (13), em Brumado, causando estragos nas ruas e avenidas da cidade, bem como nas estradas vicinais de boa parte da zona rural. O prefeito Eduardo Lima Vasconcelos visitou alguns pontos da cidade que foram danificados com a chuva, falou sobre os problemas recorrentes do município e que ainda não há estimativa dos recursos que serão empregados na recuperação. “O que vem ocorrendo neste período de chuva em Brumado é uma tragédia anunciada. Por exemplo, vocês lembram quando o Derba autorizou fazer a via de acesso ao IFBA? O projeto que chegou as nossas mãos pedia a colocação de duas manilhas de 60, fomos contra, pedimos para colocar uma galeria, não quiseram, o município bancou com recursos próprios a galeria para não acontecer, o que está acontecendo, de um modo geral em toda cidade, sendo necessária a construção de galerias para captar as águas das chuvas e evitar os problemas. Tem obras na cidade que acabam obstruindo algumas galerias. Em Brumado, chove pouco, se chovesse mais, a natureza estaria testando as obras constantemente, lugar que leva 10 anos para ver uma tromba d’água desta, o cara constrói, vai embora, vem outro mandatário, e isso é o que está acontecendo agora, estamos pagando por erros do passado”, disse o prefeito.

Brumado: prefeito Eduardo Vasconcelos avalia estragos causados pela chuva Foto: Wilker Porto | Agora Sudoeste

Questionado pela reportagem do Agora Sudoeste sobre quais as ações imediatas que serão realizadas pelo município, principalmente na famosa “ladeira do cinema”, no centro da cidade, que se deteriora, toda vez que chove com intensidade, o prefeito explicou que “a ladeira do cinema é uma caso ‘Embasiando’, aquela empresa chamada Embasa. Cometemos um erro em Brumado, eu e meus antecessores, encontramos a coisa feita de modo errôneo e deixamos, na expectativa que, a Embasa, em determinado momento, fizesse o seu papel. Municípios menores que Brumado tem esgotamento sanitário, Brumado não tem porque, aquilo que seria a obrigação da Embasa, o município passou a fazer. A Embasa teria de fornecer a água e coletar o esgoto (afluentes líquidos), não o faz. Em outras cidades, os prefeitos deixavam o esgoto correr na sarjeta, a população ia na prefeitura, os gestores mostravam o documento que era o caso de responsabilidade da Embasa, então a população ficou do lado do prefeito, contra a Embasa, e ela foi obrigada a fazer o saneamento. Aqui em Brumado, como a prefeitura pega o esgoto e joga na galeria e vai para o rio, como está aí apodrecendo o rio, a Embasa joga a responsabilidade para o município, e o povo, na hora que eu falo em fazer uma lei para obrigar a Embasa, como aconteceu em 2012, para ela fazer o seu papel, disseram que eu queria privatizar. Enquanto a Embasa não coletar o esgoto e deixar a rede de água de chuva para a água de chuva, o terreno continuará cedendo na ladeira do cinema ”, disse Vasconcelos.